Prevalência de hipertensão arterial e de seus fatores de risco na Clínica de Cirurgia da Faculdade de Odontologia da Universidade Federal de Juiz de Fora

  • Leda Marília Fonseca Lucinda
  • Maycon de Moura Reboredo
  • Arise Garcia de Siqueira Galil
  • Cláudio Hideki Kubo
  • Maria Priscila Wermelinger Ávila
  • Neuza Maria Souza Picorelli Assis

Resumo

Introdução: A população brasileira apresenta alta prevalência de hipertensão arterial (HA), porém a ausência de sintomas muitas vezes leva ao diagnóstico tardio e ao surgimento de comorbidades. Objetivo: Determinar a prevalência de hipertensão arterial e de seus fatores de risco na clínica de cirurgia odontológica da Universidade Federal de Juiz de Fora. Métodos: A amostra foi constituída de 146 pacientes que foram submetidos a uma anamnese para análise dos fatores de risco e a três mensurações de pressão arterial (PA), com intervalos de dois minutos entre elas. Posteriormente, calcularam-se as médias da PA sistólica (PAS) e PA distólica (PAD) destas medidas. O paciente com valor médio da PAS?140mmHg e/ou PAD?90mmHg foi avaliado em mais duas sessões com intervalo de uma semana entre elas; o paciente com PAS<140mmHg e PAD<90mmHg, foi considerado com valores aceitáveis de PA. Resultados: Dos 146 pacientes, 36,3% eram hipertensos, 13,7% não diagnosticados e 22,6% faziam uso de medicação, destes apenas 5% estavam controlados. Dentre os fatores de risco avaliados, os mais prevalentes foram história familiar de hipertensão arterial (78%), sedentarismo (75%) e tabagismo (32%). Conclusão: Na amostra estudada, foi observada alta prevalência de hipertensão arterial e de alguns de seus fatores de risco. Este estudo demonstra a importância da avaliação da PA previamente ao procedimento odontológico. Palavras-chave: Hipertensão arterial. Odontologia. Prevalência.  Fator de risco.
Publicado
2011-10-19