Prevalência da Hiper tensão Arterial Sistêmica na Unidade Básica de Saúde de Juiz de Fora e a Importância da Atuação Fisioterapêutica

  • Natália Matos Monteiro
  • Ana Paula Muniz
  • Franciane Fonseca de Almeida
  • Nathália de Souza Abreu
  • Adeir Moreira Rocha Júnior

Resumo

Objetivo: Avaliar a prevalência de Hipertensão Arterial Sistêmica (HAS) nos pacientes atendidos pelos alunos do Programa Integrador na Unidade Básica de Saúde de Furtado de Menezes no ano de 2006 e descrever a importância da Fisioterapia no tratamento dos hipertensos. Método: Foram analisadas as fichas do Programa Integrador referentes ao ano de 2006 na Unidade Básica de Saúde de Furtado de Menezes, contendo 329 fichas com um total de 419 indivíduos, buscando os dados sobre prevalência da HAS, sexo, idade e possíveis fatores de risco, realizando uma correlação com a prevalência da HAS no Brasil. Resultados: A prevalência de HAS na amostra estudada evidencia que 66% das mulheres possuem HAS. A média de idade das pessoas acometidas pela HAS está entre 57±15 e 56±18 anos para homens e mulheres respectivamente. As co-morbidades mais frequentes foram as doenças coronarianas (n=12) e a diabetes mellitus (n=10), tendo uma maior prevalência de co-morbidades na população feminina. Conclusão: Devido à alta prevalência da HAS encontrada neste estudo, justifica-se a importância de conhecer as várias formas de tratamento, bem como a valorização de campanhas e/ou projetos que discutam esse tema, mostrando a importância do controle dessa doença, assim como os fatores que influenciam o surgimento da mesma, para minimizar os riscos que envolvem a não adesão ao tratamento.

Publicado
2011-10-18