Métodos em Toxicologia do Sistema Reprodutor Masculino e Fertilidade em Roedores

  • Leonardo Toshio Oshio
Palavras-chave: Toxicologia. Infertilidade masculina. Espermatozóides.

Resumo

A influência de fatores ambientais na fertilidade masculina vem sendo cada vez mais discutida. A despeito de diferenças
regionais e étnicas da população humana e falta de padronização de técnicas de contagem de espermatozóides, diversos
estudos demonstraram que, ao longo dos anos, houve redução da fertilidade masculina humana; tal redução se deve
provavelmente à modificação do estilo de vida, fatores ocupacionais e da exposição a substâncias e a agentes físicos. Dentre
as substâncias potencialmente capazes de causar infertilidade destacam-se novos medicamentos, produtos químicos como
plásticos, agentes de limpeza e pesticidas. Além da perda de fertilidade, a radiação ionizante e os quimioterápicos podem
ocasionar alterações genéticas nas células germinativas com conseqüentes manifestações neoplásica e de malformações, além
de infertilidade nos descendentes.
Diante do exposto, ressaltamos a necessidade de estudos pré-clínicos em animais de laboratório, a fim de apontar substâncias
com capacidade de alterar a reprodução e a fertilidade dos mamíferos e, a partir daí, calcular-se o risco para o ser humano.
Nesse sentido, os testes para avaliação da toxicidade reprodutiva são de extrema importância e precisam ser gradativamente
aprimorados.
Publicado
2010-12-08