Técnica de Tunel em Embriões de Ratas Wistar: Avaliação da Qualidade e da Capacidade de Desenvolvimento dos Embriões

  • Juliana Polisseni
Palavras-chave: Blastocisto. apoptose. desenvolvimento embrionário. TUNEL.

Resumo

A técnica do TUNEL tem se mostrado eficiente como indicadora de qualidade embrionária em embriões bovinos e de camundongos.
Entretanto, em ratos, a técnica não é amplamente utilizada. Objetivou-se avaliar a qualidade do desenvolvimento de embriões de
ratas Wistar e o uso da técnica de TUNEL. Animais (n=8) foram superovulados através da injeção intraperitoneal de 150 UI/kg de
peso via intraperitoneal (IP) de PMSG (Pregnant Mare Gonadotropin) e de 75 UI/kg de hCG 48h após. Fêmeas superovuladas
foram colocadas para acasalar. 107 embriões de 4-8 células foram coletados 72 horas após hCG e cultivados em meio KSOM com
5% albumina sérica humana (BSA), em incubadora com 5% de CO2, 95% de umidade a 37,0ºC, por 48 horas. Após o cultivo, foi
calculada a taxa de blastocisto e realizada a técnica do TUNEL. A taxa de blastocisto foi de 83,17% (89/107), com 19,62% (21/107)
de blastocisto inicial, 14,01% (15/107) de blastocisto, e 49,53% (53/107) de blastocisto expandido. O número total de blastômeros
foi de 28,82±4,76. A taxa apoptótica foi de 10.32 ± 8.91% e 94% (31/34) dos embriões apresentavam pelo menos uma célula
apoptótica. Em conclusão, a técnica de TUNEL se mostrou viável na avaliação da qualidade embrionária de embriões de ratas Wistar.
Publicado
2010-12-08