Avaliação temporal da quantidade e da qualidade físico-química e biológica das águas do ribeirão Espírito Santo

  • Emília Marques Brovini
  • Guilherme Sena Veloso Stefani Moreira
  • Nathália da Silva Resende
  • Simone Jaqueline Cardoso
  • Renata de Oliveira Pereira
  • Maria Helena Rodrigues Gomes
Palavras-chave: Qualidade da água, Vazão, Poluição, Comunidade fitoplanctônica

Resumo

O objetivo do trabalho é realizar uma análise da quantidade e da qualidade físico-química e biológica das águas de um trecho doribeirão Espírito Santo, bem como avaliar a densidade e a riqueza das espécies fitoplanctônicas nas águas e quais nutrientes são determinantes na sua limitação. Foram realizadas 10 coletas ao longo de 5 anos em 3 pontosao longo da baciahidrográfica do ribeirão Espírito Santo.O ponto 1 se encontra em ambiente rural. O ponto 2 está situado após a captação de água da Estação de Tratamento de Água. O ponto 3 transpassa o Distrito Industrial de Juiz de Fora. O ponto 1 apresentou maior influência nos parâmetros físicos e químicos com o aumento da vazão do que os pontos 2 e 3. Fato esse que pode ser explicado pela contribuição do carreamento de compostos pelas chuvas. Algumas vazões medidas apresentaramvalores menores do que a Q7,10, revelando a importância da continuidade do monitoramento.O ponto 2 e 3 são influenciados pelos despejos de efluentes. Isso faz com que suas águas sejam nutricionalmente mais ricas do que o ponto 1, formando um ambiente favorável para adominância fitoplantônica. Ainda assim, o ponto 3 é o mais degradado, possuindo mais parâmetros em desconformidade com as normas.

Referências

ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 9898- preservação e técnicas de amostragem de efluentes e corpos hídricos receptores. Rio de Janeiro, 1997.

APHA; AWWA; WEF. Standard methods for the examination of water and wastewater. 22.ed. Washington: APHA, 2012.

BELLINGER, Edward; SIGEE, David. Freshwater algae: identification and use as bioindicators.London:John Wiley & Sons, 2015.

BRASIL. Resolução CONAMA Nº 357 de 17 março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Brasília, 2005.

CESAMA. Companhia de Saneamento Municipal. Mananciais: Ribeirão Espírito Santo. Juiz deFora, 2019. Disponível em: http://www.cesama.com.br/? pagina=resanto. Acesso em: 19 jun. 2020.

EMBRAPA. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Agência de informações Embrapa. Janeiro de 2013. Disponível em: http://www.agencia.cnptia.embrapa.br/gestor/solos_tropicais/Abertura.html. Acesso em: 1 jun. 2020.

ESTEVES, Francisco de Assis. Fundamentos de Limnologia. 3 ed. Rio de Janeiro: Interciência, 2011.

HOEK, Christiaanet al.Algae: an introduction to phycology.Cambridge: Cambridge UniversityPress. 1995.

HONJI,Renato Massaakiet al.Biodiversidade e conservação da ictiofauna ameaçada de extinção da bacia do rio Paraíba do Sul.Revista da Biologia, v. 17, n. 2, p 18-30, 2017.

INMET. Instituto Nacional de Meteorologia. Estações Automáticas.2020. Disponível em:http://www.inmet.gov.br/portal/index.php?r=estacoes/estacoesAutomaticas. Acesso em: 10 jun. 2020.

MARIA, Marina Andrada et al.Avaliação da qualidade da água e capacidade de assimilação decarga poluidora do Ribeirão Espírito Santo – Juiz de Fora/MG.In: SIMPÓSIO DE RECURSOS HÍDRICOS DA BACIA DO RIO PARAÍBA DO SUL, 3, 2018, Juiz de Fora. AnaisIII Simpósio de Recursos Hídricos do Rio Paraíba do Sul. Juiz de Fora: UFJF, 2018.p. 1-7.

MINAS GERAIS. Deliberação Normativa Conjunta COPAM/CERH-MG nº 01, de 05 de maio de 2008. Dispõe sobre a classificação dos corpos d’água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Minas Gerais, 2008.

MOTA,Aline de Almeidaet al.Instalação de uma pequena bacia experimental florestal: estudo de caso da bacia do Rio Araponga. Eng. Sanit. Ambient.,v.22, n.1, p. 73-80, 2017.

PINTO, Vivian Gemilianoet al.Diagnóstico físico-ambiental como subsídio a identificação de área vulneráveis à erosão na bacia hidrográfica do Ribeirão do Espírito Santo, Juiz de Fora (MG), Brasil. Rev. Ambient. Água. v. 9, n. 4,p. 632-646,2014.

PNRH. Política Nacional de Recursos Hídricos. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Brasília, 1997.

SALMASO, Nicoet al. Morpho-Functional Groups and phytoplankton development in two deep lakes (Lake Garda, Italy and Lake Stechlin, Germany). Hydrobiologia, v. 578, p. 97-112, 2007.

SALMASO, Nico. Long‐term phytoplankton community changes in a deep subalpine lake: responses to nutrient availability and climatic fluctuations.FreshwaterBiology, v. 55, n. 4, p. 825-846, 2010.

SANTOS, Juliana Mattos Boheret al. Diagnóstico do potencial poluidor das indústrias instaladas na cidade de Juiz de Fora – Distrito Industrial. Principia: Caminhos da Iniciação Científica, Juiz de Fora,v. 18, n. 1,p. 1-12 ,2018.

SANTOS, Juliana Mattos Boheret al.VARIAÇÃO DO IQA E ICE NO RIBEIRÃO ESPÍRITO SANTO-MG. R. Gest. Sust. Ambient., Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 460-482, jan./mar. 2020.

SOARES, Ricardo et al.Avaliação da Aplicabilidade de Índices de Poluição Aquática: Estudo de Caso no Rio Paraibuna (Juiz de Fora, MG, Brasil). Rev. Virtual Quim.,v. 8, n. 6, p. 2105-2122, 2016.

SPIJKERMAN, Elly. High photosynthetic rates under a colimitation for inorganic phosphorus and carbon dioxide. JournalofPhycology. v. 46, n. 4, p. 658-664, 2010.

VON SPERLING, Marcos. Introdução à qualidade das águas e ao tratamento de esgotos. v. 1, e. 4, p. 25-92, 2014.
Publicado
2020-07-14
Como Citar
Brovini, E. M., Moreira, G. S. V. S., Resende, N. da S., Cardoso, S. J., Pereira, R. de O., & Gomes, M. H. R. (2020). Avaliação temporal da quantidade e da qualidade físico-química e biológica das águas do ribeirão Espírito Santo. Principia: Caminhos Da Iniciação Científica, 19(2), 11. https://doi.org/10.34019/2179-3700.2019.v19.31209
Seção
Artigos originais - Engenharias e Ciência da Computação