Monitoramento da Qualidade da Água e Vazão do Ribeirão das Rosas em Juiz de Fora – MG

Palavras-chave: Contamination. Legislation. Pollution. Preservation Area

Resumo

Compreender a dinâmica de corpos d’água e questões pertinentes à gestão de bacias hidrográficas é essencial para atender aos usos múltiplos da água. Nesse contexto, o objetivo do estudo foi analisar a qualidade e quantidade de água no ribeirão das Rosas e mostrar a importância da área de preservação. O ribeirão foi avaliado em três pontos. Para a estimativa da vazão, utilizou-se o método do flutuador, e para a qualidade de água foram analisados quinze parâmetros, posteriormente comparados com as legislações. Identificou-se estatisticamente variabilidade sazonal para os parâmetros de cor aparente, cor verdadeira e sólidos totais. Entre os pontos houve uma notória recuperação da qualidade da água, principalmente em relação ao parâmetro de oxigênio dissolvido (OD). Os parâmetros turbidez, OD, nitrogênio amoniacal, ferro e fósforo apresentaram resultados em desacordo com as concentrações limites estabelecidos pelas legislações em mais de 50% das coletas. Ademais, coletas com maiores valores de vazão possuíam melhora dos valores dos parâmetros, causado pela diluição. Assim, conclui-se que área de preservação se mostrou fundamental para a melhora da qualidade da água. Todavia, se faz necessário o tratamento dos efluentes lançados no ribeirão das Rosas.

Biografia do Autor

Renata de Oliveira Pereira, Universidade Federal de Juiz de Fora

Possui graduação em Engenharia Ambiental pela Universidade Federal de Viçosa (2005), mestrado em Engenharia Civil pela Universidade Federal de Viçosa, área de saneamento (2007) e doutorado em Engenharia Hidráulica e Saneamento pela Universidade de São Paulo (2011). Professora efetiva da UFJF e atua no programa de pós-graduação do PEC e PROAC- UFJF. Tem experiência na área de Engenharia Sanitária, com ênfase em Engenharia Sanitária, atuando principalmente nos seguintes temas: tratamento de água, tratamento de águas residuárias, oxidação, desinfecção, micropoluentes e desreguladores endócrinos. 

Referências

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 9897: Planejamento de amostragem de efluentes líquidos e corpos receptores. Rio de Janeiro. 14p. 1987a.

ABNT - Associação Brasileira de Normas Técnicas. NBR 9898: Preservação e técnicas de amostragem de efluentes líquidos e corpos receptores. Rio de Janeiro. 22p. 1987b.

APHA - Standard Methods for the Examination of Water and Waste Water. 22º Edition, American Public Health Association, American Water Works Association, Water Environment Federation. Scientific Research An Academic Publisher, 2012.

BRASIL. Lei no 9.433 de 8 de janeiro de 1997. Institui a Política Nacional de Recursos Hídricos, cria o Sistema Nacional de Gerenciamento de Recursos Hídricos, regulamenta o inciso XIX do art. 21 da Constituição Federal, e altera o art. 1º da Lei nº 8.001, de 13 de março de 1990, que modificou a Lei nº 7.990, de 28 de dezembro de 1989. Brasília, DF, 1997.

BRASIL. IBGE. Censo Demográfico, 2010. Disponível em: . Acesso em: 12. jun.2020.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento Urbano e Meio Ambiente. Conselho Nacional do Meio Ambiente - CONAMA. 2005. Resolução nº 357, de 17 de março de 2005. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 18 mar. 2005.

CHAPMAN, Deborah. & KIMSTACH, Vitaly. Selection of water quality variables. In: CHAPMAN, D. (Ed.) Water quality assessment: a guide to the use of biota, sediments and water in environmental monitoring. Londres: UNESCO/WHO/UNEP, Cap. 3, 60 p. 1996.

CORRÊA, Ângelo Alves. Tetama nas Matas Mineiras: Sítios Tupi na Microrregião de Juiz de Fora-MG. Dissertação de mestrado. MAE-USP, São Paulo, 2009.

EPA. ENVIRONMENTAL PROTECTION AGENCY. Stream Flow. In: Office Of Water: Monitoring Water Quality. Volunteer stream monitoring: a methods manual. Washington: EPA, 1997. Cap 5, p. 134-138.

GAIO, Geisa Dias. A zona de descontinuidade urbana da remonta e sua influência na qualidade das águas do Ribeirão das Rosas – Juiz de Fora/MG. Juiz de Fora, 2018. Dissertação de mestrado – Instituto de Ciências Humanas - Universidade Federal de Juiz de Fora – Juiz de Fora – MG, 2018.

HESPANHOL, Katia Maria Hipolito. Monitoramento e Diagnóstico da Qualidade Da Água do Ribeirão Morangueiro. Dissertação de mestrado - Universidade Estadual de Maringá. Maringá, 2009.

KOBIYAMA, Masato et al. Monitoramento e Modelagem de uma Pequena Bacia Hidrográfica Experimental No Município De General Carneiro - PR, Brasil. In: SIMPÓSIO BRASILEIRO DE RECURSOS HÍDRICOS, XIV, Aracajú. Anais […] Aracajú, nov. 2001, n.p.

MADRUGA, Fernando Verdenacci et al. Avaliação da influência do Córrego dos Macacos na qualidade da água do rio Mogi Guaçu, no Município de Mogi Guaçu – SP. Engenharia Ambiental, v. 5, n. 2, p. 152-168, 2008.

MARQUES, Rodrigo et al. Composição química de águas de chuva em áreas tropicais continentais, Cuiabá-MT: aplicação do sistema clima urbano (S.C.U.), MT, Revista do departamento de Geografia, 2010.

MINAS GERAIS. Deliberação Normativa Conjunta COPAM/CERH-MG nº 16 de 24 de setembro de 1996. Dispõe sobre o enquadramento das águas estaduais da bacia do rio Paraibuna. Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, Minas Gerais, 1996.

MINAS GERAIS. Deliberação Normativa Conjunta COPAM/CERH-MG nº 01 de 05 de maio de 2008. Dispõe sobre a classificação dos corpos de água e diretrizes ambientais para o seu enquadramento, bem como estabelece as condições e padrões de lançamento de efluentes, e dá outras providências. Diário Oficial do Estado de Minas Gerais, Minas Gerais, 05 maio. 2008.

OLIVEIRA, Alexander; NETO, Roberto Marques. Estudo do sistema geomorfológico na Bacia do Ribeirão das Rosas (Juiz de Fora MG) Como subsídio ao planejamento da expansão urbana. Revista de Geografia – PPGEO, Juiz de Fora, v. 5. n.p., 2015.

ROCHA, C.H.B., COSTA, H.F. Variação temporal de parâmetros limnológicos em manancial de 632 abastecimento em Juiz de Fora, MG. RBRH. v. 20, n.2, p. 543-550 abr/jun 2015.

SANTOS, Juliana Mattos Bohrer et al. Análise da Variação Temporal de Cor, Turbidez e Sólidos no Ribeirão Espírito Santo e Avaliação crítica de equações de correlação entre sólidos e turbidez. In: CONGRESSO INTERNACIONAL RESAG, 3, 2017, Belo Horizonte. Anais […] Belo Horizonte, 2017. n.p.

STATSOFT INC. STATISTICA (data analysis software system), version 10. [SI]: StatSoftInc., 2012.

VON SPERLING, Marcos. Estudos de modelagem da qualidade da água de rios. Belo Horizonte: UFMG, 2007. v. 7. 452 p.

WIECHETECK, Giovana Kátie. Remoção de Substâncias Húmicas em tratamento de Água por meio de Pré-oxidação e Dupla Filtração. São Carlos, 2005. Tese (Doutorado em Hidráulica e Saneamento). Escola de Engenharia de São Carlos - USP.
Publicado
2020-10-30
Como Citar
Rodrigues Gomes, M. H., & de Oliveira Pereira, R. (2020). Monitoramento da Qualidade da Água e Vazão do Ribeirão das Rosas em Juiz de Fora – MG . Principia: Caminhos Da Iniciação Científica, 20, 11. Recuperado de https://periodicos.ufjf.br/index.php/principia/article/view/30995
Seção
Artigos originais - Engenharias e Ciência da Computação