Prevalência de enurese noturna em crianças matriculadas em escolas públicas

  • José Murillo Bastos Netto Universidade de São Paulo Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Cleide Mira Kawata Choi Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Mauro Choi Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Carlos Eduardo Prata Fernandes Ferrarez Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Wélida Salles Portela Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Luiz Cláudio Universidade Federal de Juiz de Fora
  • André Avarese de Figueiredo Universidade de São Paulo Universidade Federal de Juiz de Fora

Resumo

Introdução e objetivos: Enurese noturna é um distúrbio de alta prevalência e capaz de gerar conseqüências psicológicas para a criança. Sua etiologia ainda não está completamente elucidada. O objetivo do presente estudo é verificar em nosso meio, a prevalência de enurese noturna e avaliar a presença de prováveis fatores de risco. Material e Métodos: Foram entrevistados 550 responsáveis por alunos matriculados em escolas públicas. A escolha dos participantes foi aleatória. Resultados: A idade variou de 5 a 18 anos (8,2 ± 3,62 anos). A prevalência encontrada foi de 14,90%, sendo 86,58% dessas classificadas como primária. Dentre os enuréticos, a idade média encontrada foi de 8,21 anos, sendo a idade máxima igual a 13. História familiar positiva para enurese noturna é um fator causal importante estando presente em 54,87% das crianças enuréticas (p=0,0052). Crianças da raça branca são menos acometidas pela desordem (p= 0,005). Quanto menor o grau de instrução do chefe da família, maior o risco da criança ter enurese (p= 0,002). Conclusões: A prevalência de enurese noturna corrobora os dados da literatura internacional. História familiar é um fator de risco para enurese. Baixa escolaridade do chefe da família está correlacionada com grande risco para enurese.
Publicado
2018-07-04
Seção
Artigos