Características demográficas e sociais associadas à adesão a um programa de tratamento de alcoolistas

  • Mario Sergio Ribeiro Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Luiz Claudio Ribeiro Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Marcondes Antunes Garcia Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Grazielle Fialho de Souza Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Karolina Danielle Carvalho de Sousa Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Rachel Bueno Nogueira Universidade Federal de Juiz de Fora

Resumo

Diante da complexidade da avaliação de resultados de tratamento de alcoolistas a partir de variáveis relacionadas à ingestão de álcool, a medida adesão ao tratamento tem sido proposta como uma opção simples e prática. Este estudo
avaliou fatores sócio-demográficos possivelmente associados a adesão de alcoolistas atendidos em um programa ambulatorial. Método: Estudo observacional utilizando dados de 300 alcoolistas que concluíram a fase de avaliação do programa ambulatorial. Avaliou-se a associação de todas as 18 variáveis estudadas com adesão ao tratamento. Todas as variáveis cuja associação resultou em um p-valor (dado pelo Teste do Qui-quadrado de Pearson) menor que 0,1 foram, então, incluídas em procedimentos de regressão logística. Resultados: Na analise bivariada, as variáveis associadas positivamente a adesão foram: ter filhos; ter relação conjugal estável; ter tempo de união acima da media do grupo; estar trabalhando; e receber mais que um salário mínimo; ser autônomo associou-se negativamente a adesão. Apos a analise multivariada, tempo de união permaneceu como única característica sócio-demográfica significativamente relacionada a adesão ao tratamento. Conclusão: Os resultados contribuem para o processo de avaliação de alcoolistas e enfatizam a necessidade do desenvolvimento de estratégias especificamente desenhadas para a abordagem de determinados grupos destes pacientes.
Publicado
2018-07-04
Seção
Artigos