A influência das redes sociais no comportamento alimentar e aceitação da imagem corporal relacionada com o índice de massa corporal em acadêmicos de um centro universitário de Foz do Iguaçu – PR

Autores

  • Camila Thainara dos Passos Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil https://orcid.org/0000-0002-6788-4045
  • Diandra Aparecida Dalsoto Uniamérica Descomplica https://orcid.org/0009-0006-7051-7680
  • Ellen Kayumi Mariano Sawazaki Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil.
  • Isabel Fernandes de Souza Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil https://orcid.org/0000-0002-6906-5756

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2023.v49.39455

Palavras-chave:

Transtorno da Compulsão Alimentar, Comportamento Alimentar, Imagem Corporal, Redes Sociais Online

Resumo

Introdução: Os jovens sofrem constantemente com pressões impostas pela sociedade, uma delas é o padrão corporal, reforçada diariamente pelas mídias e redes sociais. Isso acaba impactando diretamente na forma como esse jovem se vê, na sua aceitação corporal e nas escolhas alimentares, com potencial risco para o desenvolvimento de transtornos alimentares (TAs). Objetivo: Identificar a influência das redes sociais no comportamento alimentar e aceitação da imagem corporal, relacionado com o índice de massa corporal dos estudantes de um centro universitário particular de Foz do Iguaçu-PR. Materiais e Métodos: Tratou-se de um estudo transversal, de caráter observacional e natureza quantitativa. Para coleta de dados foram aplicados questionários sociodemográficos, EAT-26 e SATAQ-4 e realizadas análises estatísticas com o BioEstat 5.0. Participaram da pesquisa 211 acadêmicos, 64,24% do sexo feminino e 29,38% do sexo masculino. Resultados: Entre os principais resultados constatou-se que a pressão da mídia, sobre a percepção corporal desses universitários, é maior que a pressão da família e amigos (p. 0,0001); o maior impacto sobre o sexo feminino foi para o corpo magro (md= 15,15; ±5,59; p. 0,006) e o masculino para o corpo atlético (md= 16,98; ±5,07; p. 0,0004); o maior risco para o desenvolvimento de transtorno alimentar foi em mulheres (n= 44; 84,60%; p. 0,0025) dos cursos da área da saúde (n= 34; 65,40%; p. 0,0249). Conclusão: O impacto causado pela mídia na percepção e aceitação corporal dos universitários se fez presente, evidenciando insatisfação corporal e influenciando escolhas alimentares. Mulheres foram as mais suscetíveis a essas pressões e, mesmo em sua maioria estando em eutrofia, apresentaram maior risco de desenvolver transtorno alimentar. Entre os homens, a pressão da mídia foi significativa na manutenção do corpo atlético.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Camila Thainara dos Passos, Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil

Graduanda em nutrição.

Diandra Aparecida Dalsoto, Uniamérica Descomplica

Graduanda em Nutrição.

Ellen Kayumi Mariano Sawazaki, Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil.

Nutricionista. Mestre em Ciências Aplicadas à Saúde, UNIOESTE, Docente do curso de Nutrição do Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil.

Isabel Fernandes de Souza, Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil

Computação. Doutora em ciências da Engenharia da Produção. Docente do Curso de Nutrição. Orientadora em Iniciação Científica. Centro Universitário Comunitário União das Américas – UniAmérica-Descomplica, Foz do Iguaçu, (PR), Brasil.

Referências

Leitzke ATS, Rigo LC. Society of control and social media: #health and #body on Instagram. Movimento. 2020; 26(1):1-14. doi: https://doi.org/10.22456/1982-8918.100688.

Matos SA, Silva FVS, Oliveira SA, Oliveira RP, Parente EP, Lopes ML. Redes sociais associada a disseminação de fake news na pandemia da COVID-19 no Brasil: revisão integrativa da literatura. Research, Society and Development. 2022; 11(12):e433111234689. doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v11i12.34689.

Neta ACPA, Steluti J, Ferreira FELL, Junior JCF, Marchioni DML. Dietary patterns among adolescents and associated factors: longitudinal study on sedentary behavior, physical activity, diet and adolescent health. Ciência e Saúde Coletiva. 2021; 26:3839-51. doi: https://doi.org/10.1590/1413-81232021269.2.24922019.

Medina-Gómez MB, Martínez-Martín MÁ, Escolar-Llamazares MC, González-Alonso Y, Mercado-Val E. Anxiety and body dissatisfaction in university students. Acta Colombiana de Psicologia. 2019; 22(1):22-30. doi: https://doi.org/10.14718/acp.2019.22.1.2.

Oliveira J, Figueredo L, Cordás TA. Prevalence of eating disorders risk behavior and “low-carb” diet in university students. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2019; 68(4):183-90. doi: https://doi.org/10.1590/0047-2085000000245.

Sampaio H, Silva I, Parente N, Carioca A. Ambiente familiar e risco de transtorno alimentar entre universitários da área da saúde. DEMETRA: Alimentação, Nutrição & Saúde. 2019; 14:e33308. doi: https://doi.org/10.12957/demetra.2019.33308.

Canali P, Fin, TC, Hartmann V, Gris C, Alves ALS. Distúrbio de imagem corporal e transtornos alimentares em universitários da área da saúde. RBONE Revista Brasileira de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2022; 15(93):244-50.

Silva AFS, Japur CC, Oliveira FRP. Repercussions of social networks on their users’ body image: integrative review. Psicologia Teoria e Pesquisa. 2020; 36:1-13. doi: https://doi.org/10.1590/0102.3772e36510

Bighetti F. Tradução e validação do Eating Attitudes Test (EAT-26) em adolescentes do sexo feminino na cidade de Ribeirão Preto - SP [dissertação]. Ribeirão Preto: Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto; 2003.

Schaefer LM, Burke NL, Thompson JK, Dedrick RF, Calogero RM et al. Development and validation of the Sociocultural Attitudes Towards Appearance Questionnaire-4 (SATAQ-4). In Psychological Assessment. 2015; 27(1). doi: http://dx.doi.org/!0.1037/a0037917.

World Health Organization. WHO Expert Committee on Physical Status: the use and interpretation of anthropometry physical status. Geneva: World Health Organization; 1995. (WHO Technical Report Series, v. 854)

Instituto Semesp (BR). Mapa do ensino superior no Brasil [Internet]. [citado em 2022.10.03]. Semesp; 2021. Acesso em: https://www.semesp.org.br/wp-content/uploads/2021/06/Mapa-do-Ensino-Superior-Completo.pdf.

Costa RGC, Wakasugi MDEJ, Coelho GDM, Ferreira G. Perfil alimentar e antropométrico de um grupo de universitários da área da saúde. Revista Ciência e saúde. 2021; 6(1):24-3.

Lira AG, Ganen AP, Lodi AS, Alvarenga MDS. Uso de redes sociais, influência da mídia e insatisfação com a imagem corporal de adolescentes brasileiras. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2017; 66(3):164-71. doi: https://doi.org/10.1590/0047-2085000000166.

Silva FL, Cassepp-Borges V, Paiva MSP. Estudo psicométrico do Questionário de Atitudes Socioculturais em Relação à Aparência – 4. Revista Psicologia em Pesquisa. 2021; 15(2). doi: https://doi.org/10.34019/1982-1247.2021.v15.30134.

Laus MF. Influência do padrão de beleza veiculado pela mídia na satisfação corporal e escolha alimentar de adultos [tese]. Ribeirão Preto: Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Ribeirão Preto; 2012.

Chatzopoulou E, Filieri R, Dogruyol AS. Instagram and body image: motivation to conform to the “Instabod” and consequences on young male wellbeing. Journal of Consumer Affairs. 2020; 54(4):1270-97. doi: https://doi.org/10.1111/joca.12329.

Castro AP, Lopes NE, Moreira TBV, Oliveira TA, Rodrigues TCMM. Os impactos da mídia na imagem corporal. 2020. doi: https://doi.org/10.18312.

Ribeiro MTO, Oliveira AAP, Santos GC, Villaça LA, Barreto LT, Santana LD, Ribeiro-Andrade ÉH. Associação entre o uso de mídias sociais e comportamento alimentar, percepção e checagem corporal. Revista Perspectivas Online: Humanas & Sociais Aplicadas – Anais Do VI CICC. 2018; 08(22).

Hendrickse JMA, Arpan LM, Russell CB, Ridgway JL. Instagram and college women’s body image: investigating the roles of appearance-related comparisons and intrasexual competition. Computers in Human Behavior. 2017; 74:92-100. doi: https://doi.org/10.1016/j.chb.2017.04.027.

Assis LC, Guedine CRC, Carvalho PHB. Social media use and its association with disordered eating among nutrition science students. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2020; 69(4):220-7. doi: https://doi.org/10.1590/0047-2085000000288.

Silva JCM. A influência das mídias sociais sobre o comportamento alimentar: uma revisão. 2021. doi: https://doi.org/https://bdm.unb.br/handle/10483/30856.

Souza AC, Alvarenga MS. Insatisfação com a imagem corporal em estudantes universitários: uma revisão integrativa. Jornal Brasileiro de Psiquiatria. 2016; 65(3):286-99. doi: https://doi.org/10.1590/0047-2085000000134.

Silva AM, Lopes RS, Silva GC, Lucchese R, Almeida EG, Lemos MF, Gussoni MT. Padrão de sono, fadiga e perfil antropométrico de estudantes universitários. Humanidades Tecnologia Revista (FINOM). 2019.

Costa ML, Araújo DFS, Cassiano MH, Figueirêdo HAO, Oliveira VTL, Barbosa IR, Silva FHVC. Associação entre o uso de mídias sociais e comportamento alimentar, percepção e checagem corporal. Brazilian Journal of Health Review. 2019; 2(6):5898-914. doi: https://doi.org/10.34119/bjhrv2n6-084.

Downloads

Publicado

2023-07-17

Como Citar

1.
dos Passos CT, Dalsoto DA, Kayumi Mariano Sawazaki E, Fernandes de Souza I. A influência das redes sociais no comportamento alimentar e aceitação da imagem corporal relacionada com o índice de massa corporal em acadêmicos de um centro universitário de Foz do Iguaçu – PR. HU Rev [Internet]. 17º de julho de 2023 [citado 20º de abril de 2024];49:1-8. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/39455

Edição

Seção

Artigos Originais