Mortalidade por câncer de boca e faringe no Brasil entre 2008 e 2019: estudo descritivo

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2022.v48.37587

Palavras-chave:

Epidemiologia, Neoplasias Bucais, Neoplasias Faríngeas

Resumo

Introdução: O câncer de boca e faringe tem etiologia multifatorial e representa cerca de 3% de todos os casos de câncer no mundo, sendo o quinto tipo mais prevalente em homens brasileiros. Objetivo: Analisar a mortalidade por câncer de boca e faringe ocorrida no Brasil e suas regiões no período de 2008 a 2019. Material e Métodos: Os dados foram extraídos no Sistema de Informações sobre Mortalidade (SIM) e no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Foi conduzida uma análise descritiva das taxas de mortalidade global por sexo, raça, faixa etária, estado civil, escolaridade e sítio anatômico, com subsequente análise estatística por meio da tendência temporal por regressão linear simples. Resultados: No período, houve o crescimento de 33,25% dos óbitos, taxa de mortalidade média de 3,64/100 mil habitantes e a análise de tendência temporal demonstrou aumento anual de 0,06 óbitos para cada cem mil habitantes. Ademais, pode-se observar mais frequentes óbitos no Sudeste 49,28%, nas faixas etárias de 50 a 79 anos com 73,31%, em pessoas casadas, 41,19%, na raça branca, 53,49%, com escolaridade de 1 a 3 anos, 25,73% e sexo masculino, 78,97%. Nesses, obteve-se a razão das taxas de mortalidade masculina e feminina de 3,75 e taxa de mortalidade masculina crescente, com uma taxa média de 5,83, sendo a feminina de 1,51 cem mil habitantes. Conclusão: O perfil de mortalidade do estudo por câncer de boca e orofaringe é predominantemente composto por indivíduos do sexo masculino, brancos, de 50 a 69 anos, casados e de baixa escolaridade. Embora mais frequente nas regiões Sul e Sudeste, as taxas de mortalidade apresentam uma tendência de crescimento anual, em especial na região Nordeste do país.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Melo LC, Silva MC, Bernardo JMP, Marques EB, Leite ICG. Perfil epidemiológico de casos incidentes de câncer de boca e faringe. Rev Gaúch Odontol. 2010; 58:3.

Losi-Guembarovski R, Menezes RP, Poliseli F, Chaves VN, Kuasne H, Leichsenring A et al. Epidemiologia do carcinoma oral no estado do Paraná, Sul do Brasil. Cad Saúde Pública. 2009; 25:2. https://doi.org/10.1590/S0102-311X200900020001

Soares EC, Bastos Neto BC, Santos LPS. Estudo epidemiológico do câncer de boca no Brasil. Arq Med Hosp Fac Cienc Med Santa Casa São Paulo. 2019; 64:3. https://doi.org/10.26432/1809-3019.2019.64.3.192

Ribeiro ILA, Medeiros JJ, Rodrigues LV, Valença AMG, Lima Neto EA. Fatores associados ao câncer de lábio e cavidade oral. Rev Bras Epidemiol. 2015; 18:3. https://doi.org/10.1590/1980-5497201500030008

Fonseca EP, Amaral RC, Pereira AC, Rocha CM, Tennant M. Geographical variation in oral and oropharynx cancer mortality in Brazil: a bayesian approach. Int J Environ Res Public Health. 2018; 15:12. https://doi.org/10.3390/ijerph15122641

Cunha ARD, Prass TS, Hugo FN. Mortality from oral and oropharyngeal cancer in Brazil: impact of the National Oral Health Policy. Cad Saude Publica 2019; 35:12. https://doi.org/10.1590/0102-311X00014319

Perea LME, Peres MA, Boing AF, Antunes JLF. Tendência de mortalidade por câncer de boca e faringe no Brasil no período 2002-2013. Rev Saúde Pública. 2018; 52. https://doi.org/10.11606/S1518-8787.2018052000251

Instituto Nacional de Câncer (BR). Câncer de boca. 2020. [citado 2020 ago 07]. Acesso em: https://www.inca.gov.br/tipos-de-cancer/cancer-de-boca

Cunha AR, Prass TS, Hugo FN. Mortalidade por câncer bucal e de orofaringe no Brasil, de 2000 a 2013: tendências por estratos sociodemográficos. Ciênc Saúde Coletiva. 2020; 25:8. https://doi.org/10.1590/1413-81232020258.31282018

Bonfante GMS, Machado CJ, Souza PEA, Andrade EIG, Acurcio FA, Cherchiglia MA. Sobrevida de cinco anos e fatores associados ao câncer de boca para pacientes em tratamento oncológico ambulatorial pelo Sistema Único de Saúde, Brasil. Cad Saúde Pública 2014; 30:4. https://doi.org/10.1590/0102-311X00182712

Turci SRB, Guilam MCR, Câmara MCC. Epidemiologia e saúde coletiva: tendências da produção epidemiológica brasileira quanto ao volume, indexação e áreas de investigação: 2001 a 2006. Ciênc Saúde Coletiva. 2010; 15:4. https://doi.org/10.1590/S1413-81232010000400012.

Malta DC, Silva AG, Machado IE, Sá ACGMN, Santos FM, Prates EJ et al. Tendências de indicadores relacionados ao tabagismo nas capitais brasileiras entre os anos de 2006 e 2017. J Bras Pneumol 2019; 55:5. https://doi.org/10.1590/1806-3713/e20180384

Silva TLB, Alves WA, Rosado LPL, Souza BKL, Aquino SN. Hospitalização para casos de câncer de boca e faringe no Brasil e Mundo. Arq Odontol. 2020; 56:1-11.

Cosseti-Olivera ML, Cunha AR, Prass TS, Martins MAT, Hugo FN, Martins MD. Mortality due to oral and oropharyngeal cancer in Uruguay from 1997 to 2014. J Appl Oral Sci. 2020; 28:e20190166.

Zhang LW, Li J, Cong X, Hu XS, Li D, Wu LL et al. Incidence and mortality trends in oral and oropharyngeal cancers in China, 2005-2013. Cancer Epidemiology. 2018; 57. https://doi.org/10.1016/j.canep.2018.10.014

Bosetti C, Carioli G, Santucci C, Bertuccio P, Gallus S, Garavello W, Negri E et al. Global trends in oral and pharyngeal cancer incidence and mortality. Int J Cancer. 2020; 147:4. https://doi.org/10.1002/ijc.32871

Candia J, Fernández A, Somarriva C, Horna-Campos O. Mortalidad por cáncer oral en Chile, 2002-2012. Rev Méd Chile. 2018; 146:4. http://dx.doi.org/10.4067/s0034-98872018000400487

Domingos PAS, Passalacqua MLC, Oliveira ALBM. Câncer bucal: um problema de saúde pública. Revista de Odontologia da Universidade Cidade de São Paulo. 2014; 26:1.

Silva MM, Silva VH. Envelhecimento: importante fator de risco para o câncer. Arquivos Médicos do ABC. 2005; 30:1.

Anaya-Saavedra G, Ramírez-Amador V, Irigoyen-Camacho ME, Zimbrón-Romero A, Zepeda-Zepeda MA. Oral and pharyngeal cancer mortality rates in Mexico, 1979-2003. Journal of Oral Pathology and Medicine. 2008; 37:1. https://doi.org/10.1111/j.1600-0714.2007.00562.x

Miranda CDC, Peres MA. Determinantes da utilização de serviços odontológicos entre adultos: um estudo de base populacional em Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. Cad Saúde Pública. 2013; 29:11. https://doi.org/10.1590/0102-311x00139912.

Ferreira MAF, Gomes MN, Michels FAS, Dantas AA, Latorre MRDO. Desigualdade social no adoecimento e morte por câncer de boca e orofaríngeo no município de São Paulo, Brasil: 1997 a 2008. Cad. Saúde Pública. 2012; 28:9. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2012000900006

Freire AR, Freire DEWG, Araújo ECF, de Lucena EHG, Cavalcanti YW. Influence of public oral health services and socioeconomic indicators on the frequency of hospitalization and deaths due to oral cancer in Brazil, between 2002-2017. Int J Environ Res Public Health. 2020; 18:1. https://doi.org/10.3390/ijerph18010238

Freitas RM, Rodrigues AMX, Matos Júnior AF, Oliveira GAL. Fatores de risco e principais alterações citopatológicas do câncer bucal: uma revisão de literatura. Rev Bras An Clín. 2016; 48:1.

Secretaria Nacional Antidrogas (BR). I levantamento nacional sobre os padrões de consumo de álcool na população brasileira. 2007. [citado em 15 jan 2022]. Acesso em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/relatorio_padroes_consumo_alcool.pdf

Ministério da Economia (BR). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa Nacional de Saúde 2019: percepção do estado de saúde, estilos de vida, doenças crônicas e saúde bucal. 2020. [citado em 21 jan 2021]. Acesso em: https://www.pns.icict.fiocruz.br/wp-content/uploads/2021/02/liv101764.pdf

Boing AF, Peres MA, Antunes JLF. Mortality from oral and pharyngeal cancer in Brazil: trends and regional patterns, 1979-2002. Rev Panam Salud Publica. 2006; 20:1.

Matos LL, Miranda GA, Cernea CR. Prevalência de infecção oral e orofaríngea pelo HPV em estudos na população brasileira: revisão sistemática. Braz J Otorhinolaryngol. 2015; 81:5. https://doi.org/10.1016/j.bjorl.2015.04.001

Petito G, Carneiro MAS, Santos SHR, Silva AMTC, Alencar RC, Gontijo AP et al. Papilomavírus humano (HPV) em carcinomas de cavidade oral e orofaringe na região central do Brasil. Braz J Otorhinolaryngol. 2017; 83:1. https://doi.org/10.1016/j.bjorl.2016.01.004

Ministério da Economia (BR). Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Diretoria de Pesquisas. Coordenação de Trabalho e Rendimento. Pesquisa Nacional de Saúde 2019: informações sobre domicílios, acesso e utilização dos serviços de saúde. 2020. [citado em 2021 jan 15]. Acesso em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101748.pdf

Ministério da Saúde (BR). Secretaria de Vigilância em Saúde. Departamento de Análise em Saúde e Vigilância de doenças não transmissíveis. Vigitel Brasil 2019: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. 2020. [citado em 2021 jan 18]. Acesso em: https://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2019_vigilancia_fatores_risco.pdf

Freire AR, Freire DEWG, Araújo ECF, Lucena EHG, Cavalcanti YW. Influence of public oral health services and socioeconomic indicators on the frequency of hospitalization and deaths due to oral cancer in Brazil, between 2002-2017. Int J Environ Res Public Health. 2021; 18:1. https://doi.org/10.3390/ijerph18010238

Martins RC, Reis CMR, Machado ATGM, Amaral JHL, Werneck MAF, Abreu MHNG. Relationship between primary and secondary dental care in public health services in Brazil. PLoS One. 2016; 11:10. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0164986

Pinho JRO, Souza TC, Vilas Bôas MD, Marques CPC, Neves PAM. Evolução da cobertura das equipes de saúde bucal nas macrorregiões brasileiras. Rev Assoc Paul Cir Dent. 2015; 69:1.

Borges DML, Sena MF, Ferreira MAF, Roncalli AG. Mortalidade por câncer de boca e condição socioeconômica no Brasil. Cad Saúde Pública. 2009; 25:2. https://doi.org/10.1590/S0102-311X2009000200010

Oliveira ATR. Sistemas de Estatísticas Vitais no Brasil: avanços, perspectivas e desafios. Rio de Janeiro: IBGE; 2018.

Bonita R, Beaglehole T, Kjellström T. Epidemiologia Básica. 2. ed. São Paulo: Santos; 2010.

Downloads

Publicado

2022-12-21

Como Citar

1.
Campos Dell’Orto Z, Ribondi Marcarini GA, Ferreira Costa MV, Dias Lopes PG, de Souza Queiroga A, de Freitas Espeschit I. Mortalidade por câncer de boca e faringe no Brasil entre 2008 e 2019: estudo descritivo. hu rev [Internet]. 21º de dezembro de 2022 [citado 3º de fevereiro de 2023];48:1-10. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/37587

Edição

Seção

Artigos Originais