Perfil epidemiológico dos pacientes submetidos a cirurgia bariátrica em hospital de ensino

Autores

  • Antônio José Alvarenga Arantes Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA) https://orcid.org/0000-0001-7025-0708
  • Levi Nogueira Ferreira e Silva Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA)
  • Wictor Gomes Batista Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA) https://orcid.org/0000-0001-9552-1252
  • Gustavo Nepomuceno Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA)
  • Matheus Couto Mota Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA)
  • Tarsila Campanha da Rocha Ribeiro Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA) https://orcid.org/0000-0002-4885-3067
  • Igor Vitoi Cangussu Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA)
  • Victor Vitoi Cangussu Faculdade de Ciências Médicas e da Saúde de Juiz de Fora, Minas Gerais (FCMS-JF/SUPREMA)

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2022.v48.35734

Palavras-chave:

Obesidade, Síndrome metabólica, Cirurgia bariátrica

Resumo

Introdução: A obesidade é uma doença crônica de alta prevalência no Brasil associada a alta morbimortalidade, sendo a cirurgia bariátrica uma proposta válida para seu controle e tratamento. Nota-se que há uma escassez na literatura nacional de informações referentes a dados epidemiológicos, bem como das complicações que envolvem a cirurgia bariátrica.  Objetivo: Investigar o perfil epidemiológico de indivíduos adultos submetidos a cirurgia bariátrica realizadas em hospital público de ensino no município de Juiz de Fora - MG. Método: Trata-se de um estudo de natureza analítica, observacional, transversal do tipo inquérito por meio do levantamento de prontuários. Resultados: Dos 466 indivíduos que realizaram a cirurgia bariátrica, a média de idade dos indivíduos foi de 40,2 anos e 85,2% eram do sexo feminino. Cerca de 84% dos pacientes classificaram-se com obesidade grau III. A comorbidade que mais prevaleceu no grupo pesquisado foi a hipertensão arterial (89%), a taxa de mortalidade foi de 1,9% e a frequência de complicações foram mais observadas em pacientes com obesidade grau III (68%). Conclusão: O perfil dos pacientes que buscaram abordagem cirúrgica para obesidade foi predominantemente de mulheres na terceira e quartas décadas de vida, brancas, com obesidade mórbida, tendo como comorbidade mais frequente DM e HAS, sendo que a presença de comorbidades não esteve associada ao aumento no risco de intercorrências do procedimento. A taxa geral de complicações foi baixa e o grau de obesidade esteve diretamente associado à sua ocorrência. A cirurgia bariátrica para tratamento da obesidade mostrou-se segura, com baixa taxa de complicações em um centro especializado, caracterizando, até o momento, a maior casuística nacional.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Associação Brasileira de Estudos Sobre Obesidade e da Síndrome Metabólica (BR). Diretrizes brasileiras de obesidade: 2016. 4. ed. São Paulo: 2016.

Tirosh A, Shai I, Afek A et al. Adolescent BMI trajectory and risk of diabetes versus coronary disease. N Eng J Med. 2011; 364(14):1315-25.

Afzal S, Tybjærg-Hansen A, Jensen GB et al. Change in body mass index associated with lowest mortality in Denmark: 1976-2013. JAMA. 2016; 315(18):1989-96.

Catenacci VA, Hill JO, Wyatt HR. The obesity epidemic. Clinics in Chest Medicine. 2009; 30(3):415-44.

Malta DC, Cezário AC, Moura L, Morais Neto OL, Silva Junior JB. A construção da vigilância e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis no contexto do Sistema Único de Saúde. Epidemiol Serv Saúde. 2006; 15:47-65.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (BR). Pesquisa nacional de saúde 2019: atenção primária à saúde e informações antropométricas. [citado em 2021, agosto 23]. Rio de Janeiro: Instituto IBGE; 2019. Disponível em: https://biblioteca.ibge.gov.br/visualizacao/livros/liv101758.pdf.

Bahia LR, Araujo DV. Impacto econômico da obesidade no Brasil. Revista HUPE. 2014; 13(1):13-7.

Malta DC, Cezário AC, Moura L, Morais Neto OL, Silva Junior JB. A construção da vigilância e prevenção das doenças crônicas não transmissíveis no contexto do Sistema Único de Saúde. Epidemiol Serv Saúde. 2006; 15:47-65.

Lindekilde N, Gladstone BP, Lübeck M, Nielsen J, Clausen L, Vach W, Jones A. The impact of bariatric surgery on quality of life: a systematic review and meta-analysis. Obes Ver. 2015; 16(8):639-51.

Nguyen NT, Varela JE. Bariatric surgery for obesity and metabolic disorders: state of the art. Nat Rev Gastroenterol Hepatol. 2016; 14(3):160-9.

Inge TH, Courcoulas AP, Jenkins TM. Weight loss and health status 3 years after bariatric surgery in adolescents. N Engl J Med. 2015; 374(2):113-23.

Olbers T, Beamish AJ, Gronowitz E et al. Laparoscopic Roux-en-Y gastric bypass in adolescents with severe obesity (AMOS): a prospective, 5-year, Swedish nationwide study. Lancet Diabetes Endocrinol. 2017; 5(3):174-83.

Golzarand M, Toolab K, Farid R. The bariatric surgery and weight losing: a meta-analysis in the long- and very long-term effects of laparoscopic adjustable gastric banding, laparoscopic Roux-en-Y gastric bypass and laparoscopic sleeve gastrectomy on weight loss in adults. Surg Endosc. 2017; 31(11):4331-45.

Kramuddin S, Korner J, Lee W et al. Roux-en-Y gastric bypass versus intensive medical management for the control of type 2 diabetes, hypertension and hyperlipidemia: an international, multicenter, randomized trial. JAMA. 2013; 309(19):2240-9.

Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (BR). Número de cirurgias bariátricas no Brasil cresce 7,5% em 2016. [citado em 2021 maio 20]. Disponível em: https://www.sbcbm.org.br/numero-de-cirurgias-bariatricas-no-brasil-cresce-75-em-2016/.

Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica (BR). SBCBM divulga números e pede participação popular para cobertura da cirurgia metabólica pelos planos de saúde. 2020. [citado em 2021 jun. 5]. Disponível em: https://www.sbcbm.org.br/sbcbm-divulga-numeros-e-pede-participacao-popular-para-cobertura-da-cirurgia-metabolica-pelos-planos-de-saude/.

Angrisani L, Santonicola A, Iovino P, Vitiello A, Higa K, Himpens J, Buchwald H, Scopinaro N. IFSO Worldwide Survey 2016: primary, endoluminal, and revisional procedures. Obesity Surgery. 2018; 28(12):3783-94.

Carvalho AS, Rosa RD. Cirurgias bariátricas realizadas pelo Sistema Único de Saúde em residentes da Região Metropolitana de Porto Alegre, Rio Grande do Sul, 2010-2016. Epidemiol Serv. Saúde 2018; 27(2).

Almeida, GA, Giampietro, HB, Belarmino, LB, Moretti LA, Marchini JS, Ceneviva R. Aspectos psicossociais em cirurgia bariátrica: a associação entre variáveis emocionais, trabalho, relacionamentos e peso corporal. Arq Bras Cir Dig. 2011; 24(3):226-31.

Ribeiro GA, Giapietro HB, Belarmino LB, Salgado Júnior W. Depressão, ansiedade e compulsão alimentar antes e após cirurgia bariátrica: problemas que persistem. Arq Bras Cir Dig. 2018; 31(1):1-4.

Silva PT, Patias LD, Alvarez, GC Kirsten, VR Colpo, Moraes, CM. Perfil de pacientes que buscam a cirurgia bariátrica. Arq Bras Cir Dig. 2015; 28(4):270-3.

Dawes AJ, Maggard-Gibbons M, Maher AR, Booth MJ, Miake-Lye I, Beroes JM, Shekelle PG. Mental health conditions among patients seeking and undergoing bariatric surgery. JAMA. 2016; 315(2):150-63.

Peterli R, Wölnerhanssen BK, Peters T, Vetter D, Kröll D, Borbély Y. Effect of laparoscopic sleeve gastrectomy vs laparoscopic Roux-en-Y gastric bypass on weight loss in patients with morbid obesity: the SM-BOSS randomized clinical trial. JAMA. 2018; 319(3):255-65.

Salminen P, Helmiö M, Ovaska J, Juuti A, Leivonen M, Peromaa-Haavisto P. Effect of laparoscopic sleeve gastrectomy vs laparoscopic Roux-en-Y gastric bypass on weight loss at 5 years among patients with morbid obesity: the sleevepass randomized clinical trial. JAMA. 2018; 319(3):241-54.

Ruiz-Tovar J, Carbajo MA, Jimenez JM, Castro MJ, Gonzalez G, Ortiz-de-Solorzano J. Long-term follow-up after sleeve gastrectomy versus Roux-en-Y gastric bypass versus one-anastomosis gastric bypass: a prospective randomized comparative study of weight loss and remission of comorbidities. Surg Endosc. 2019; 33(2):401-10.

Kizy S, Jahansouz C, Downey MC, Hevelone N, Ikramuddin S, Leslie D. National trends in bariatric surgery 2012-2015: demographics, procedure selection, readmissions, and cost. Obes Surg. 2017; 27(11):2933-9.

Lynn W, Ilczyszyn A, Rasheed S, Davids J, Aguilo R, Agrawal S. Laparoscopic Roux-en-Y gastric bypass is as safe as laparoscopic sleeve gastrectomy: results of a comparative cohort study. Ann Med Surg. 2018; 35:38-43.

Golzarand M, Toolabi K, Farid R. The bariatric surgery and weight losing: a meta-analysis in the long- and very long-term effects of laparoscopic adjustable gastric banding, laparoscopic Roux-en-Y gastric bypass and laparoscopic sleeve gastrectomy on weight loss in adults. Surg Endosc. 2017; 31(11):4331-45.

Murphy R, Clarke MG, Evennett NJ, John Robinson S, Lee Humphreys M, Hammodat H et al. Laparoscopic sleeve gastrectomy versus banded Roux-en-Y gastric Bypass for diabetes and obesity: a prospective randomised double-blind trial. Obes Surg. 2018; 28(2):293-302.

Welbourn R, Hollyman M, Kinsman R, Dixon J, Liem R, Ottosson J et al. Bariatric surgery worldwide: baseline demographic description and one-year outcomes from the fourth IFSO global registry report 2018. Obes Surg. 2019; 29(3):782-95.

Kassir R, Debs T, Blanc P, Gugenheim J, Ben Amor I, Boutet C, Tiffet O. Complications of bariatric surgery: presentation and emergency management. Int J Surg. 2016; 27(3):77-81.

Kelles SM, Machado CJ, Barreto SM. Dez anos de cirurgia bariátrica no Brasil: mortalidade intra-hospitalar em pacientes atendidos pelo sistema único de saúde ou por operadora de saúde suplementar. Arq Bras Cir Dig. 2014; 27(4):261-7.

Landreneau JP, Strong AT, Rodriguez JH, Aleassa EM, Aminian A, Brethauer S, Schauer PR, Kroh MD. Conversion of sleeve gastrectomy to Roux-en-Y gastric Bypass. Obes Surg. 2018; 28(12):3843-50.

Rosa SC, Macedo JL, Canedo LR, Casulari LA. Quality of life and predictive factors for complications in patients undergoing abdominoplasty after gastric bypass: a retrospective cohort. Surg Obes Relat Dis. 2019; 15(3):447-55.

Marmuse JP, Parenti LR. Gastric bypass. Principles, complications, and results. J Visc Surg. 2010; 147(5):31-7.

Diniz MF, Passos VM, Barreto SM, Diniz MTC, Linares DB, Mendes LN. Perfil de pacientes obesos classe III do sistema público de saúde, submetidos à gastroplastia em “Y de Roux” no Hospital das Clínicas da UFMG: altas prevalências de superobesidade, comorbidades e mortalidade hospitalar. Rev Med Minas Gerais. 2008; 18(3):183-90.

Compher CW, Hanlon A, Kang Y, Elkin L, Williams NN. Attendance at clinical visits predicts weight loss after gastric bypass surgery. Obes Surg. 2012; 22(6): 927-34.

Lara MD, Baker MT, Larson CJ, Mathiason MA, Lambert PJ, Kothari SN. Travel distance, age and sex as factors in follow-up visit compliance in the post-gastric bypass population. Surg Obes Relat Dis. 2005; 1(1):17-21.

Jennings N, Boyle M, Mahawar K, Balupuri S, Small P. The relationship of distance from the surgical centre on attendance and weight loss after laparoscopic gastric bypass surgery in the United Kingdom. Clin Obes. 2013; 3 (6):180-4.

Downloads

Publicado

2022-04-25

Como Citar

1.
José Alvarenga Arantes A, Nogueira Ferreira e Silva L, Gomes Batista W, Nepomuceno G, Couto Mota M, Campanha da Rocha Ribeiro T, Vitoi Cangussu I, Vitoi Cangussu V. Perfil epidemiológico dos pacientes submetidos a cirurgia bariátrica em hospital de ensino. hu rev [Internet]. 25º de abril de 2022 [citado 26º de maio de 2022];48:1-7. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/35734

Edição

Seção

Artigos Originais