Prevalência de diabetes no Vale do Jequitinhonha e associação com fatores socioeconômicos, demográficos e condições de saúde

  • Elenice dos Santos Paula Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Fisioterapia, Diamantina, MG
  • Juliana Nunes Santos Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Fisioterapia, Diamantina, MG
  • Ana Paula Nogueira Nunes Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Ciências Básicas, Grupo de Estudo do Diabetes, Diamantina, MG
  • Edson Da Silva Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Faculdade de Ciências Biológicas e da Saúde, Departamento de Ciências Básicas, Grupo de Estudo do Diabetes, Diamantina, MG
Palavras-chave: Diabetes Mellitus, Prevalência, Fatores de Risco, Fatores Políticas Públicas de Saúde, Serviços de Saúde

Resumo

Introdução: O Diabetes mellitus (DM) é uma das doenças que mais demandam ações, procedimentos e serviços de saúde. Por ser uma condição crônica, tais situações relacionadas ao DM acarretam altos gastos para o sistema de saúde e constituem um fardo global para a saúde pública com impacto significativo nas economias dos estados. Objetivo: Investigar a prevalência de DM na população do Vale do Jequitinhonha, Minas Gerais, Brasil, e identificar o perfil dos indivíduos entrevistados pelo PAD-MG relacionando a presença de DM entre os entrevistados com as características socioeconômicas, demográficas e condições de saúde. Material e métodos: Realizou-se um estudo secundário de análise dos dados de indivíduos do Vale do Jequitinhonha que relataram ter diabetes na PAD-MG, realizada em 2013 pela Fundação João Pinheiro. Utilizou-se a estatística descritiva para caracterização da amostra e análises bivariadas. Para as variáveis categóricas foi realizado o teste Qui-quadrado e para as variáveis quantitativas foi realizado o teste Mann-Whitney. A regressão binária logística foi realizada considerando o nível de significância p≤0,001. Resultados: A prevalência de DM na mesorregião do Jequitinhonha foi de 4,2%. Houve associação (p<0,001) entre a variável resposta e as variáveis sexo, idade, hipertensão, doenças cardíacas, percepção de saúde regular ou ruim e internação no último ano. Conclusão: O DM mostrou-se prevalente na mesorregião do Jequitinhonha e apresentou associação estatística com as características socioeconômicas, demográficas e condições de saúde estudadas.

Referências

Oliveira JEP, Vencio S. Diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes 2017-2018. São Paulo: Editora Clannad; 2017.

International Diabetes Federation. IDF diabetes atlas ‐ 8th edition 2017. Disponível em: http://www.diabetesatlas.org/.

Filho MB, Rissin A. A transição nutricional no Brasil: tendências regionais e temporais. Cad Saude Publica. 2003; 19(Sup. 1):181-91.

Sartorelli DS, Franco LJ. Tendências do diabetes mellitus no Brasil: o papel da transição nutricional. Cad Saude Publica. 2003; 19(Sup. 1):S29-S36.

World Health Organization. Diabetes country profiles, 2016 [Internet]. Geneva: World Health Organization; 2016 [citado em 2017 dec 10].

Duncan BB, Schmidt MI, Cousin E, Lakeh MM, Passos VMA, França EB et al. The burden of diabetes and hyperglycemia in Brazil‑past and present: findings from the Global Burden of Disease Study 2015. Diabetol Metab Syndr. 2017; 9(18):1-12.

Mehring M, Donnachie E, Bonke FC, Werner C, Schneider A. Disease management programs for patients with type 2 diabetes mellitus in Germany: a longitudinal population‑based descriptive study. Diabetol Metab Syndr. 2017; 9(37).

Mendes TAB, Goldbaum M, Segri NJ, Barros MBA, Cesar CLG, Carandina L et al. Diabetes mellitus: fatores associados à prevalência em idosos, medidas e práticas de controle e uso dos serviços de saúde em São Paulo, Brasil. Cad Saude Pública. 2011; 27(6):1233-43.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. 2017. [citado em 27 out 18]. Disponível em: https://cidades.ibge.gov.br/brasil/mg/jequitinhonha/pesquisa/37/0?tipo=ranking

Boletim PAD-MG 2013. Indicadores básicos. Documento metodológico. Ano 3, n°7, dezembro de 2014. Belo Horizonte, Fundação João Pinheiro, Centro de Estatística e Informações, 2014. [citado em 28 Jun 17]. Disponível em: http://www.fjp.mg.gov.br/index.php/docman/cei/pad/502-boletim-pad-7-dezembro-19-11-2014-site-2/file

Fundação João Pinheiro. Pesquisa por amostra de domicílios (PAD-MG), 2014. [citado em 2 Jul 17]. Disponível em: http://fjp.mg.gov.br/index.php/produtos-e-servicos1/2766-pesquisa-por-amostra-de--domicilios-pad-mg-e-boletins-pad.

Hosmer DW Jr, Lemeshow S. The multiple logistic regression model. In: Applied Logistic Regression. New York: Wiley, 1989. p 25–37.

Brasil, VIGITEL 2018: vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico: estimativas sobre frequência e distribuição sociodemográfica de fatores de risco e proteção para doenças crônicas nas capitais dos 26 estados brasileiros e no Distrito Federal em 2017.

World Health Organization. Noncommunicable Diseases Country Profiles, 2014.

Iser BPM, Stopa SR, Chueiri PS, Szwarcwald CL, Malta DC, Monteiro HOC et al. Prevalência de diabetes autorreferido no Brasil: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde 2013. Epidemiol Serv Saude. 2015; 24(2):305-14.

Rossaneis MA, Haddad MCFL, Mathias TAF, Marcon SS. Differences in foot self-care and lifestyle between men and women with diabetes mellitus. Rev Lat Am Enfermagem. 2016; 24:e2761.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Estatísticas de Gênero- Indicadores sociais das mulheres no Brasil; 2018.

Mansyur CL, Rustveld LO, Nash SG, Jibaja-Weiss ML. Social factors and barriers to self-care adherence in Hispanic men and women with diabetes. Patient Educ Couns. 2015; 98:805-10.

Stopa SR, César CLG, Segri NJ, Goldbaum M, Guimarães VMV, Alves MCGP et al. Diabetes autorreferido em idosos: comparação das prevalências e medidas de controle. Rev Saude Publica. 2014; 48(4):554-62.

Passos VMA, Barreto SM, Diniz LM, Lima-Costa MF. Type 2 diabetes: prevalence and associated factors in a Brazilian community: the Bambuí health and aging study. Sao Paulo Med J. 2005; 123(2):66-71.

Silva EF, Ferreira CMM, Pinho L. Risk factors and complications in type 2 diabetes out patients. Rev Assoc Med Bras. 2017; 63(7):621-7.

Colosia A, Palencia R, Khan S. Prevalence of hypertension and obesity in patients with type 2 diabetes mellitus in observational studies: a systematic literature review. Diabetes Metab Syndr Obes. 2013; 6:327-38.

Sowers, JR. Diabetes And Vascular Disease. Hypertension. 2013; 61(5):943-7.

Lopez-Jaramillo P, Sanchez RA, Diaz M, Cobos L, Bryce A, Carrillo JZP et al. Latin American consensus on hypertension in patients with diabetes type 2 and metabolic syndrome. J Hypertens. 2013; 31:223-38.

Silva AB, Engroff P, Sgnaolin V, Ely LS, Gomes I. Prevalence of diabetes mellitus and medication adherence in elderly of the Family Health Program in Porto Alegre. Cad Saude Colet. 2016; 24 (3):308-16.

Carneiro JA, Gomes CAD, Durães W, Jesus DR, Chaves KLL, Lima CA et al. Autopercepção negativa da saúde: prevalência e fatores associados entre idosos assistidos em centro de referência. Cien Saude Colet. 2018 [citado em 20 nov 20]. Disponível em: http://www.cienciaesaudecoletiva.com.br/artigos/autopercepcao-negativa-da-saude-prevalencia-e-fatores-associados-entre-idosos-assistidos-em-centro-de-referencia/16884?id=16884.

Silva MRR, Diniz LM, Santos JBR, Reis EA, Mata AR, Araújo VE et al. Uso de medicamentos e fatores associados à polifarmácia em indivíduos com diabetes mellitus em Minas Gerais, Brasil. Cien Saúde Colet. 2018; 23(8):2565-74.

Szwarcwaldi CL, Damacena GN, Júnior PR, Almeida WS, Lima LT, Malta DC et al. Determinantes da autoavaliação de saúde no Brasil e a influência dos comportamentos saudáveis: resultados da Pesquisa Nacional de Saúde, 2013. Rev Bras Epidemiol. 2015; 18(Suppl 2): 33-44.

Malta DC, Bernal RTI, Lima M. G, Araújo SSC, Silva MMA, Freitas MIF et al. Doenças crônicas não transmissíveis e a utilização de serviços de saúde: análise da Pesquisa Nacional de Saúde no Brasil. Rev Saúde Pública. 2017; 51(Supl)1:4s.

Costa AF, Flor LS, Campos MR, Oliveira AF, Costa MF, Silva RS et al. Carga do diabetes mellitus tipo 2 no Brasil. Cad Saúde Pública. 2017; 33(2):e00197915.

Brasil. Ministério da Saúde. HIPERDIA. Sistema de cadastramento e acompanhamento de hipertensos e diabéticos. [citado em 15 Mar 13]. Disponível em: http://www2.datasus.gov.br/DATASUS/in-dex.php?area=040304

Rosa R, Nita ME, Rached R, Donato B, Rahal E. Estimated hospitalizations attributable to diabetes mellitus within the public healthcare system in Brazil from 2008 to 2010: study DIAPS 79. Rev Assoc Med Bras. 2014; 60(3):222-30.

Publicado
2020-02-14
Como Citar
Paula, E. dos S., Nunes Santos, J., Nogueira Nunes, A. P., & Da Silva, E. (2020). Prevalência de diabetes no Vale do Jequitinhonha e associação com fatores socioeconômicos, demográficos e condições de saúde . HU Revista, 45(4), 381-388. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.27807
Seção
Artigos Originais