Comparação entre métodos de diagnósticos para a quantificação da lipoproteína de baixa densidade em pacientes atendidos em um Hospital Universitário

  • Robert Wexlei Mendes Lopes Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC, Juiz de Fora, Minas Gerais
  • Victor Rocha Lamego Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC, Juiz de Fora, Minas Gerais
  • Laís de Almeida Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC, Juiz de Fora, Minas Gerais
  • Soraia Chafia Naback de Moura Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC, Juiz de Fora, Minas Gerais
  • Giuliano Reder de Carvalho Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC, Juiz de Fora, Minas Gerais
  • Paula Rocha Chellini Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC, Juiz de Fora, Minas Gerais
  • Aline Corrêa Ribeiro Universidade Presidente Antônio Carlos UNIPAC/JF MG
Palavras-chave: Hipercolesterolemia, LDL-Colesterol, Lipoproteínas, Diagnósticos Laboratoriais, Aterosclerose

Resumo

Introdução: Estudos relatam uma forte ligação entre as dislipidemias e as ateroscleroses. Por esta razão, exames como o perfil lipídico são realizados rotineiramente com o intuito de prevenção e monitoramento dessas doenças. A lipoproteína de baixa densidade possui grande destaque por apresentar maior relação com fatores de risco para o desenvolvimento de doenças ateroscleróticas. Métodos diretos de obtenção dos valores dessa lipoproteína são confrontados com resultados obtidos usualmente na rotina, através de equações que fornecem valores estimados. Objetivo: Comparar os métodos de diagnósticos utilizados para a obtenção da lipoproteína de baixa densidade através das Fórmulas de Friedewald e Martin com os resultados obtidos por metodologia automatizada, em pacientes atendidos em um Hospital Universitário de Juiz de Fora - MG. Material e Métodos: Foram coletadas amostras de sangue venoso para a obtenção do soro de 208 pacientes. Quantificaram-se os níveis de colesterol total, triglicerídeos e da lipoproteína de alta densidade para a obtenção da lipoproteína de baixa densidade através das equações de Friedewald e Martin. Resultados: Há uma correlação positiva entre os resultados de lipoproteína de baixa densidade calculados pelos métodos de Martin e direto (ρ=0,916), e uma correlação positiva entre os resultados pelos métodos de Friedewald e direto (ρ=0,915). Discussão: Foi observada uma correlação positiva entre os valores de colesterol e de lipoproteína de baixa densidade pelas três metodologias. O método de Bland-Altman foi utilizado para comparação dos resultados obtidos pelas equações e pela metodologia direta. Conclusão: Ainda que as equações de Friedewald e Martin tenham apresentado boa correlação com a lipoproteína de baixa densidade medida por metodologia direta, estudos que relacionam doenças arteriais ateroscleróticas à lipoproteína de baixa densidade devem considerar a quantificação direta desta a fim de abranger os indivíduos com suas diversas especificidades.

Referências

Barbalho SM, Bechara MD, Quesada K, et al. Síndrome metabólica, aterosclerose e inflamação: tríade indissociável. J Vasc Bras. 2015; 14(4):319-27.

Sitrângulo Junior SJ, Silva ES. Doença aterosclerótica carotídea. J Vasc Bras. 2018; 17(3):179-83.

Costa CPA, Machado DC, Oliveira GGP. Estilo de vida como fator de prevenção da aterosclerose. Caderno de Med. 2019; 2(2).

Carapeto C, Montanari F, Pinela LM. Alimentação e aterosclerose: um artigo informativo. Rev Bras de Obesidade, Nutrição e Emagrecimento. 2017; 11(69):755-63.

Faludi AA, Izar MCO, Saraiva JFK. Atualização da Diretriz Brasileira de Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose. Arq Bras de Cardiol. 2017; 109(2).

Motta VT. Bioquímica clínica para o laboratório: princípios e interpretações. 5. ed. Rio de Janeiro: Medbook; 2009.

Friedewald WT, Levy RI, Fredrickson DS. Estimation of the concentration of low density lipoprotein cholesterol in plasma, without use of the preparative ultracentrifuge. Clin Chemis. 1972; 18:499-502.

Jongseok L, Jang S, Jeong H. Validation of the Friedewald formula for estimating low density lipoprotein cholesterol: the Korea National Health and Nutrition Examination Survey, 2009 to 2011. Korean J Intern Med Archive. 2018.

Jialal I, Inn M, Siegel D, Devaraj S. Underestimation of low density lipoprotein-cholesterol with the Friedewald Equation versus a direct homogenous low density lipoprotein-cholesterol assay. Lab. Medicine. 2017; 48(3):220-24.

Olga AH, Alcántara TS, Sánchez JB. Bajos niveles de triglicéridos no afectan el cálculo de lipoproteínas de baja densidad por la fórmula de Friedewald. 2017; 64(3):110-13.

Sathiyakumar V, Golozar A, Lazo M. Comparison of the novel method versus the Friedewald equation in estimating low-density lipoprotein-cholesterol based on fasting status. J Am Coll Cardiol. 2017; 69(11):1697.

Biyik I, Isiksacan N, Koser M. Comparison of alternative formulas for low density lipoprotein cholesterol measurement with Friedewald formula. Am J of Cardiol. 2018; 121(8):104-5.

Martin SS, Blaha MJ, Elshazly MB, Brinton EA, Toth PP, McEvoy JW. Friedewald-Estimated versus directly measured low-density lipoprotein cholesterol and treatment implications. J Am Col Cardiol. 2013:732–9.

National cholesterol education program. Third report of the expert panel on detection evaluation and treatment of high blood cholesterol in adults; 2013 [citado em 2018 Mar 4]. Disponível em: https://www.nhlbi.nih.gov/health-topics/management-blood-cholesterol-in-adults.

Moore DAS. Estatística básica e sua prática. 6a ed. Rio de Janeiro: LTC; 2014.

Sokal, RR e Rohlf FJ. Biometry: the principles of statistics in biological research. New York: Freeman; 1995.

Giavarina D. Understanding Bland Altman analysis: biochemia medica. 2015; 25(2):141-51.

Sociedade Brasileira de Análises Clínicas (SBAC). Consenso Brasileiro para a Normatização da Determinação Laboratorial do Perfil Lipídico. 2016, versão1.13. [acesso em 2018 Mar 4] Disponível em: http://www.sbac.org.br/wp-content/uploads/2017/09/ConsensoOficial_PerfilLipidico_2016_v13.pdf

Larsson A, Hagström E, Nilsson LE, Svensson MK. Treatment target reclassification of subjects comparing estimation of low-density lipoprotein cholesterol by the Friedewald equation and direct measurement of LDL-cholesterol. Upsala J Med Sci. 2018; 123(2):94-9.

Vieira PL, Araujo GN, Telo GH. Valores de LDL-colesterol estimados pela equação de Friedewald são afetados pelo controle do diabetes. Intern J Cardiovasc Sci. 2016; 29(5):348-54.

Ilanchezhian T, Vanaja R, Rajagopalan B. Comparative study of the estimation of LDL cholesterol by the direct method and Friedewald equation in secondary hyperlipidemia. Intern J Pharmac Sci Research. 2016; 7(11):4632-6.

Kurniawan LB, Windarwati W, Budi M. Analysis of LDL-c measurement using direct and Friedewald formula in type 2 diabetes mellitus patients. Indon J Clin Pathol Medical Lab. 2018; 24(3):255-57.

Martin SS. Calculating LDL cholesterol in familial combined hyperlipidemia: out with the old, in with the new? Atherosclerosis. 2018; 277:172-74.

Publicado
2019-11-07
Como Citar
Wexlei Mendes Lopes, R., Rocha Lamego, V., de Almeida, L., Chafia Naback de Moura, S., Reder de Carvalho, G., Rocha Chellini, P., & Ribeiro, A. C. (2019). Comparação entre métodos de diagnósticos para a quantificação da lipoproteína de baixa densidade em pacientes atendidos em um Hospital Universitário. HU Revista, 45(2), 115-121. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.27464
Seção
Artigos Originais