Conhecimento do tratamento de hiperfosfatemia e adesão às orientações nutricionais após intervenção em indivíduos em hemodiálise

  • Adriana Soares Torres Melo Pós-graduação em Saúde Coletiva, Faculdade de Medicina, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil https://orcid.org/0000-0002-1280-0908
  • Maria Amélia Ribeiro Elias Unidade de Nutrição Clínica do Hospital Universitário, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil
  • Aline Silva de Aguiar Departamento de Nutrição, Instituto de Ciências Biológicas, Universidade Federal de Juiz de Fora, Brasil
Palavras-chave: Educação Alimentar e Nutricional, Diálise Renal, Hiperfosfatemia, Insuficiência Renal Crônica

Resumo

Introdução: O controle da hiperfosfatemia é um desafio no tratamento de pacientes hemodialíticos, sendo um dos principais objetivos a serem alcançados. O acompanhamento nutricional e a prática de atividades educativas contribuem para o sucesso na adesão ao tratamento. Objetivo: Descrever, em indivíduos em hemodiálise, o conhecimento do tratamento da hiperfosfatemia, bem como avaliar o possível impacto das orientações nutricionais nos níveis séricos de fósforo após intervenção nutricional em participantes do programa de HD no Hospital Universitário na cidade de Juiz de Fora, MG. Material e métodos: Estudo quase-experimental, do tipo antes e depois com 35 pacientes em tratamento hemodialítico, com 18 anos ou mais, de ambos os sexos, em diálise há, pelo menos, dois meses e que haviam passado por, pelo menos, uma consulta com a nutricionista do setor. Foram coletados do prontuário dados sociodemográficos e clínicos e aplicados questionário de frequência alimentar adaptado e recordatório 24h para avaliação do consumo alimentar, além de questões fechadas sobre o conhecimento das causas da hiperfosfatemia, alimentos ricos em fósforo e uso de quelantes. A intervenção foi realizada mediante a utilização de cartilha educativa. Após a intervenção foram verificados os níveis séricos de fósforo, considerando hiperfosfatemia valores >5,5 mg/dL. Resultados: Na amostra, 57,1% (n=20) eram do sexo masculino, com média de idade de 61,8 ± 14,3 anos e tempo médio em diálise de 61,1 ± 68,9 meses. A prevalência de hiperfosfatemia antes da intervenção era de 60% (n=21) e ao final da intervenção houve redução para 25,7% (n=9). Houve diferença na redução dos níveis séricos de fósforo quando comparadas as médias antes e depois da intervenção [(5,9 ± 1,3 mg/dL; 4,9 ± 1,7 mg/dL; p<0,001)]. Conclusão: Os resultados mostraram que a intervenção educativa possivelmente contribuiu para melhorar a compreensão e adesão ao tratamento, tendo um papel complementar no manejo da hiperfosfatemia de pacientes dialíticos.

 

Referências

National Kidney Foundation. K/DOQI US Commentary on the 2012 KDIGO Clinical Practice Guideline for the Evaluation and Management of CKD. Am J Kidney Dis. 2014; 63(5):713-35. doi: https://doi.org/10.1053/j.ajkd.2014.01.416

Cuppari L. Nutrição clínica no adulto: guias de medicina ambulatorial e hospitalar UNIFESP/Escola Paulista de Medicina. 3ª ed. São Paulo: Ed. Manole; 2014.

Sesso RC, Lopes AA, Thomé FS, Lugon JR, Martins CT. Inquérito brasileiro de diálise crônica 2016. J Bras Nefrol. 2017; 39(3):261-6. doi: 10.5935/0101-2800.20170049

Brito ACD, França AKTC, Hortegal EV, Dias RSC, Costa RCO, Lima DP. Conhecimento de hiperfosfatemia e quelante de fósforo em hemodialíticos. BRASPEN J. 2016; 31(4):322-8.

Caldeira D, Amaral T, David C, Sampaio C. Educational strategies to reduce serum phosphorus in hyperphosphatemic patients with chronic kidney disease: systematic review with meta-analysis. J Ren Nutr. 2011; 21(4):285-94. doi: 10.1053/j.jrn.2010.11.006

Sherman RA. Hyperphosphatemia in dialysis patients: beyond nonadherence to diet and binders. Am J Kidney Dis. 2016; 67(2):182-6. doi: 10.1053/j.ajkd.2015.07.035

Elliott JO, Ortman C, Almaani S, Lee YH, Jordan K. Understanding the associations between modifying factors, individual health beliefs, and hemodialysis patients’ adherence to a low-phosphorus diet. J Ren Nutr. 2015; 25(2):111-20. doi: 10.1053/j.jrn.2014.08.006

Taketani Y, Koiwa F, Yokoyama K. Management of phosphorus load in CKD patients. J Clin Exp Nephrol. 2017; 21(S1):27-36. doi: 10.1007/s10157-016-1360-y

Nerbass FB, Morais JG, Santos RG, Krüger TS, Koene TT, Filho HAL. Adesão e conhecimento sobre o tratamento da hiperfosfatemia de pacientes hiperfosfatêmicos em hemodiálise. J Bras Nefrol. 2010; 32(2):149-55. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-28002010000200003

Pinto DE, Ullmann LS, Burmeister MM, Antonello ICF, Pizzato A. Associações entre ingestão energética, proteica e de fósforo em pacientes portadores de doença renal crônica em tratamento hemodialítico. J Bras Nefrol. 2009; 31(4):269-76. doi: http://dx.doi.org/10.1590/S0101-28002009000400005.

D'Alessandro C, Piccoli GB, Cupisti A. The "phosphorus pyramid": a visual tool for dietary phosphate management in dialysis and CKD patients. BMC Nephrol. 2015; 20(16):9. doi: 10.1186/1471-2369-16-9.

Pascoal BA, Paula MR, Maniglia FP. Educação nutricional como estratégia no controle da hiperfosfatemia e hipercalemia em pacientes em hemodiálise. BRASPEN J. 2017; 32(3):221-5.

World Health Organization (WHO). Obesity: preventing and managing the global epidemic. Geneva: World Health Organization; 1997.

Tabela Brasileira de Composição de Alimentos (TACO). NEPA-UNICAMP. 4. ed. rev. e ampl. Campinas: NEPA/UNICAMP; 2011.

Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Pesquisa de orçamentos familiares: tabela de composição nutricional dos alimentos consumidos no Brasil. Rio de Janeiro: IBGE; 2011.

Philippi ST. Tabela de Composição de Alimentos: Suporte para decisão nutricional. 2ª ed. São Paulo: Coronário; 2002.

Schieri R, Everhart JE. Validity of a Brazilian food frequency questionnaire against dietary recalls and estimated energy intake. Nutrition. 1998; 18(10):1649-59. doi: https://doi.org/10.1016/S0271-5317(98)00151-1

National Kidney Foundation. K/DOQI Clinical Practice Guideline for Hemodialysis Adequacy: 2015 update. Am J Kidney Dis. 2015; 66(5):884-930. doi: https://doi.org/10.1053/j.ajkd.2015.07.015

Vaz IMF, Freitas ATVS, Peixoto MRG, Ferraz SF, Campos MIVA. A ingestão energética de pacientes em hemodiálise é subrelatada? J Bras Nefrol 2015;37(3):359-66. doi: http://dx.doi.org/10.5935/0101-2800.20150056.

Hoover H. Compliance in hemodialysis patients: a review of the literature. J Am Diet Assoc. 1989; 89(7):957-9.

National Kidney Foundation. KDOQI US Commentary on the 2017 KDIGO Clinical Practice Guideline Update for the Diagnosis, Evaluation, Prevention, and Treatment of Chronic Kidney Disease–Mineral and Bone Disorder (CKD-MBD). Am J Kidney Dis. 2017; 70(6):737-51. doi: 10.1053/j.ajkd.2017.07.019.

National Kidney Foundation. K/DOQI Clinical practice guidelines for nutrition in chronic renal failure. Am J Kidney Dis. 2001; 37(1 Suppl 2):S66-70.

National Kidney Foundation. K/DOQI Clinical practice guidelines for bone metabolism and disease in chronic kidney disease. Am J Kidney Dis. 2003; 42(4 Suppl 3):S1-201.

Machado AD, Bazanelli AP, Simony RF. Avaliação do consumo alimentar de pacientes com doença renal crônica em hemodiálise. Rev Ciênc. Saúde. 2014; 7(2):76-84. doi: http://dx.doi.org/10.15448/1983-652X.2014.2.17758.

Guida B, Parolisi S, Coco M, Ruoppo T, Veccia R, di Maro M et al. The impact of a nutritional intervention based on egg white for phosphorus control in hemodialyis patients. Nutr Metab Cardiovasc Dis. 2019; 29(1):45-50. doi: 10.1016/j.numecd.2018.09.010

Danelon B, Andrade MM, Alvarenga L, Nascimento R, Mendes LL, Aguiar A. Efeitos a curto e longo prazos de ações de educação alimentar e nutricional no perfil nutricional de pacientes em hemodiálise. Nutr clín diet hosp. 2018; 38(4):131-6. doi: 10.12873/384danelon.

Nisio JM, Bazanelli AP, Kamimura MA, Lopes MGG, Ribeiro FSM, Vasselai P et al. Impacto de um programa de educação nutricional no controle da hiperfosfatemia de pacientes em hemodiálise. J Bras Nefrol. 2007; 29(3):152-57.

Baraz S, Zarea K, Dashtbozorgi B. Comparing the effect of two educational programs on the quality of life of hemodialysis patients in Iran. Iran Red Crescent Med J. 2014. 16(8):e19368. doi: 10.5812/ircmj.19368.

Ebrahimi H, Sadeghi M, Amanpour F, Dadgari A. Influence of nutritional education on hemodialysis patients’ knowledge and quality of life. Saudi J Kidney Dis Transpl. 2016; 27(2):250-5. doi: 10.4103/1319-2442.178253.

Karavetian M, de Vries N, Rizk R, Elzein H. Dietary educational interventions for management of hyperphosphatemia in hemodialysis patients: a systematic review and meta-analysis. Nutr Rev. 2014 Jul; 72(7):471-82. doi: 10.1111/nure.12115. Epub 2014 Jun 11.

Casas J, Rodrigues CIS, D’Avila R. Educação nutricional para pacientes renais crônicos em programa de hemodiálise. Nutrire. 2015; 40(1):36-44.

Publicado
2020-02-14
Como Citar
Soares Torres Melo, A., Ribeiro Elias, M. A., & Silva de Aguiar, A. (2020). Conhecimento do tratamento de hiperfosfatemia e adesão às orientações nutricionais após intervenção em indivíduos em hemodiálise. HU Revista, 45(4), 374-380. https://doi.org/10.34019/1982-8047.2019.v45.26123
Seção
Artigos Originais