A importância do exame anatomopatológico da placenta em obstetrícia e neonatologia

Autores

  • Taynara Guimarães Silva Universidade Federal do Tocantins
  • Tiago Antônio Bueno Cerávolo Lima Universidade Federal do Tocantins
  • André Viana Pereira Mota Universidade Federal do Tocantins
  • Virgílio Ribeiro Guedes Universidade Federal do Tocantins

Palavras-chave:

Placenta, Doenças placentárias, /legislação & jurisprudência, Responsabilidade legal.

Resumo

O objetivo deste trabalho é conscientizar obstetras e pediatras da importância do exame anatomopatológico da placenta no âmbito médico-legal e na prática clínica, sistematizar a busca e o reconhecimento das placentas de análise mandatória e auxiliar na criação de protocolos internos para a sua triagem. Realizou-se revisão sistemática da literatura de artigos científicos indexados nas bases de dados SciELO, LILACS, PubMed, Bireme, entre os anos de 2000 a 2012, utilizando-se as palavras-chave: placenta, doenças placentárias, /legislação & jurisprudência, responsabilidade legal.  Foram  incluídos aqueles com notável qualidade metodológica e relevância clínica.Observou-se que o índice de placentas enviadas à análise ainda é muito baixo, seja por falta de conhecimento da sua aplicação e da sua importância para ajudar a esclarecer fatos inesperados ou que cursem com prejuízo do desenvolvimento da criança, ou pelo fato da maioria dos hospitais não dispor de protocolos internos e recursos que permitam a realização do exame. A grande vilã da falta de uso deste exame em benefício do paciente e dos médicos é a ausência de protocolos com as suas indicações clínicas. Para isso, foi elaborada uma lista com as principais situações que poderiam indicar a análise da placenta.

Palavras-chave: Placenta. Doenças placentárias. /legislação & jurisprudência. Responsabilidade legal.


Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Taynara Guimarães Silva, Universidade Federal do Tocantins

Médica formada pela Universidade Federal do Tocantins.

Tiago Antônio Bueno Cerávolo Lima, Universidade Federal do Tocantins

Possui graduação em Enfermagem pela Universidade Federal de Uberlândia (2007); Médico formado pela Universidade Federal do Tocantins.

André Viana Pereira Mota, Universidade Federal do Tocantins

Médico formado pela Universidade Federal do Tocantins.

Virgílio Ribeiro Guedes, Universidade Federal do Tocantins

Mestrado Profissional em Ciências da Saúde UFT, possui graduação em Medicina (1998) pela Universidade Federal de Juiz de Fora MG (UFJF) com residência médica na especialidade de Patologia no Hospital Universitário - UFJF (2003) e Título de Especialista em Patologia pela Sociedade Brasileira de Patologia e Associação Médica Brasileira (2010) e Pós-Graduação Lato Sensu, em Saúde da Família pela Universidade São Camilo (2007). É Professor Auxiliar e Coordenador das Disciplinas de Patologia (2009), na Universidade Federal de Tocantins (UFT), exercendo ainda o cargo de Médico Patologista (2003) pela Secretária de Saúde do Estado do Tocantins (SESAU) no Serviço de Verificação de Óbito de Palmas (SVO).

Referências

ARAÚJO, C.P. et al. Alterações placentárias macroscópicas associadas à ocorrência de fetos/recém-nascidos macrossômicos na gestação de alto risco. 58ª REUNIÃO ANUAL DA SBPC. Florianópolis, 2006.

BONETTI, L.R. et al. The role of fetal autopsy and placental examination in the causes of fetal death: a retrospective study of 132 cases of stillbirths. Archives of gynecology and obstetrics, Berlim, vol. 283, no. 2, p.231-41, 2011.

CHANG, K.T. Pathological examination of the placenta: raison d'etre, clinical relevance and medicolegal utility. Singapore medical journal, Singapura, vol. 50, p. 1123–33, 2009.

CHERVENAK, J.L. Overview of professional liability. Clinics in perinatology, Philadelphia, vol.34, no. 2, p. 227-232, 2007.

CURTIN, W.M. et al. Pathologic examination of the placenta and observed practice. Obstetrics and gynecology, Nova York, vol. 109, no. 1, p.35–41, 2007.

HARGITAI, B.; MARTON T.; COX P.M. Best practice no 178. Examination of the human placenta. Journal of clinical pathology, Londres, vol.57, nº8, p.785–92, 2004.

KORTEWEG, F.J. et al. Diverse placental pathologies as the main causes of fetal death. Obstetrics and gynecology, Nova York, vol. 114, no. 4, p. 809-17, 2009.

KORTEWEG, F.J. et al. A placental cause of intra-uterine fetal death depends on the perinatal mortality classification system used. Placenta, Londres, vol.29, p. 71-80, 2008.

KORTEWEG, F.J. et al. Evaluation of 1025 fetal deaths: proposed diagnostic workup. American journal of obstetrics and gynecology, Saint Louis, vol. 206, p.53 e 1-12, 2012.

MARCHETTI, D; BELVISO, M; FULCHERI, E. A case of stillbirth: the importance of placental investigation in medico-legal practice. The American journal of forensic medicine and pathology, Nova York, vol. 30, no. 1, p.64-8, 2009.

MAVROFOROU A, KOUMANTAKIS E, MICHALODIMITRAKIS E. Physicians’ liability in obstetric and gynecology practice. Medicine and Law, Berlim, Nova York, vol.24, p.1–9, 2005;

REDLINE, RW. Severe fetal placental vascular lesions in term infants with neurologic impairment. American journal of obstetrics and gynecology, Saint Louis, vol.192, no. 2, p.452-7, 2005.

ROBERTS, D.J. Placental patholohy, a survival guide. Archives of pathology and laboratory medicine, Chicago, vol. 132, no. 4, p. 641-51, 2008.

SPENCER, M.K.; KHONG, T.Y. Conformity to guidelines for pathologic examination of the placenta : rates of submission and listing of clinical indications. Archives of pathology and laboratory medicine, Chicago, vol. 127, p.205-7, 2003.

STUDDERT, D.M. et al. Claims, errors, and compensation payments in medical malpractice litigation. The New England journal of medicine, Boston, vol.354, no. 19, p. 2024-33, 2006.

ZUGAIB, M.; RUOCCO, R. Pré Natal. 3.ed. São Paulo : Atheneu Rio, 2005.

Downloads

Publicado

2016-11-22

Como Citar

1.
Silva TG, Lima TABC, Mota AVP, Guedes VR. A importância do exame anatomopatológico da placenta em obstetrícia e neonatologia. hu rev [Internet]. 22º de novembro de 2016 [citado 8º de agosto de 2022];42(3). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2324

Edição

Seção

Artigos de Revisão da Literatura

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)