Alterações Estomatológicas em Crianças de Creches Municipais da Cidade de João Pessoa - PB

Autores

  • Daliana Queiroga de Castro Gomes Universidade Estadual da Paraíba - UEPB
  • Taís Moura Salvador Universidade Estadual da Paraíba
  • Amanda Maria Medeiros Araujo Universidade Federal de Campina Grande - UFCG
  • Ricardo Cavalcante Duarte Universidade Federal da Paraíba - UFPB
  • Jozinete Vieira Pereira Universidade Estadual da Paraíba - UEPB
  • Raquel Christina Barboza Gomes Universidade Estadual da Paraíba - UEPB

Palavras-chave:

Odontopediatria, Alterações Estomatológicas, Nutrição, Desnutrição, Crianças

Resumo

Este trabalho objetivou avaliar a prevalência das alterações estomatológicas (AE), em crianças nutridas e desnutridas, com idades entre 25 e 72 meses, matriculadas em creches municipais da cidade de João Pessoa–PB. A amostra foi composta por 200 crianças, as quais foram examinadas sob fonte de luz artificial (fotóforo). Para avaliação do estado nutricional, utilizou-se o indicador peso/idade (P/I), empregando-se, como padrão de referência, a escala NCHS, sendo as crianças classificadas, conforme o percentil, em desnutridas, em risco, eutróficas e com excesso de peso. Os dados foram submetidos ao teste estatístico do qui-quadrado. Constatou-se que 72% (n= 144) das crianças eram eutróficas; 12,5% (n= 25) estavam em risco; 11% (n= 22), desnutridas e 4,5% (n= 9) com excesso de peso. A prevalência das AE foi 73% (n= 146), afetando 76% (n= 109) dos eutróficos, 59% (n= 13) dos desnutridos, 80% (n= 20) daqueles em risco e 44% (n= 4) dos com excesso de peso, não sendo estas diferenças significativas (p > 0,05). Os grânulos de Fordyce foram as AE mais prevalentes, nas crianças desnutridas (30,8%), eutróficas (46,8%) e com excesso de peso (50%), enquanto naquelas em situação de risco a pigmentação melânica da gengiva inserida foi mais frequente. Conclui-se que os grânulos de Fordyce foram a AE mais elevada e, a desnutrição não influenciou o aparecimento das AE, uma vez que as lesões bucais diagnosticadas consistem em variações da normalidade ou são decorrentes de traumas mecânicos, além de terem sido observadas em todos os grupos de estados nutricionais.

Biografia do Autor

Daliana Queiroga de Castro Gomes, Universidade Estadual da Paraíba - UEPB

Professora da Disciplina de Estomatologia da UEPB; Doutora em Estomatologia pela UFPB.

Taís Moura Salvador, Universidade Estadual da Paraíba

Cirurgiã Dentista graduada pela UEPB

Amanda Maria Medeiros Araujo, Universidade Federal de Campina Grande - UFCG

Professora da Disciplina de Radiologia Odontológica da UFCG; Doutora em Radiologia Odontológica pela Faculdade de Odontologia de Piracicaba - UNICAMP/SP.

Ricardo Cavalcante Duarte, Universidade Federal da Paraíba - UFPB

Professor da Disciplina de Odontopediatria da UFPB; Doutor em Odontopediatria pela UPE.

Jozinete Vieira Pereira, Universidade Estadual da Paraíba - UEPB

Professora da Disciplina de Estomatologia da UEPB; Doutora em Estomatologia pela UFPB.

Raquel Christina Barboza Gomes, Universidade Estadual da Paraíba - UEPB

Professora da Disciplina de Pediatria da UEPB; Doutora em Estomatologia pela UFPB.

Downloads

Publicado

2015-08-20

Como Citar

1.
Gomes DQ de C, Salvador TM, Araujo AMM, Duarte RC, Pereira JV, Gomes RCB. Alterações Estomatológicas em Crianças de Creches Municipais da Cidade de João Pessoa - PB. hu rev [Internet]. 20º de agosto de 2015 [citado 11º de abril de 2021];40(1 e 2). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2148

Edição

Seção

Artigos Originais