Estudo da felicidade no campo da Saúde Coletiva: reflexões e possíveis contribuições

Autores

  • Milene Zanoni da Silva Vosgerau Universidade Federal do Paraná
  • Marcos Aparecido Sarriá Cabrera Universidade Estadual de Londrina

Resumo

Este artigo buscou refletir sobre as contribuições da felicidade, para o campo da saúde coletiva e em especial, para ciência epidemiológica. Para embasar a construção teórica-metodológica do artigo, aborda-se o bem-estar subjetivo e sua inter-relação com o processo saúde-doença. Foram analisados, comparados e avaliados artigos e materiais bibliográficos para fundamentar epistemologicamente a reflexão proposta. Como resultado, identificou-se que a literatura em saúde tem historicamente enfatizado quase que exclusivamente o estudo das doenças. No Brasil são escassas as pesquisas que investiguem indicadores positivos de saúde, como a felicidade. Entretanto, estudos internacionais têm demonstrado que os estados afetivos estão associados com a promoção e proteção da saúde. Desta forma, o crescimento exponencial de publicações na área do bem-estar subjetivo nas comunidades científicas internacionais é um consistente indicativo de que inovações epistemológicas e práticas devem ser incorporadas criticamente pelo campo complexo da saúde coletiva no cenário brasileiro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Milene Zanoni da Silva Vosgerau, Universidade Federal do Paraná

Departamento de Saúde Comunitária da UFPR

Marcos Aparecido Sarriá Cabrera, Universidade Estadual de Londrina

Departamento de Clínica Médica da UEL. Docente da

pós-graduação em Saúde Coletiva da UEL.

Downloads

Publicado

2014-12-10

Como Citar

1.
Vosgerau MZ da S, Cabrera MAS. Estudo da felicidade no campo da Saúde Coletiva: reflexões e possíveis contribuições. hu rev [Internet]. 10º de dezembro de 2014 [citado 12º de agosto de 2022];39(1 e 2). Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/2024

Edição

Seção

Artigos de Revisão da Literatura