Glândula Pienal: revisão da anatomia e correlações entre os marca-passos e fotoperíodos na sincronização dos ritmos cardíacos

Autores

  • Marcelo Quesado Filgueiras

Palavras-chave:

Glândula pineal, Melatonina, Ritmo circadiano,

Resumo

Revisamos neste artigo a anatomia da glândula pineal que sintetiza seu hormônio a melatonina, que tem influência direta no estabelecimento do sincronismo do organismo com os ciclos da natureza, através de suas correlações anatômicas com os sistemas de marca-passos intracerebrais, ligando os fotoperíodos à sincronização. Os ritmos circadianos são funções cíclicas importantes na orientação temporal dos seres vivos em relação às estratégias comportamentais a serem adotadas ao longo do ano. O principal ritmo utilizado para a sincronização com o meio ambiente é o ritmo claro-escuro ou também chamado fotoperíodo. Um dos componentes importantes desse ritmo é a glândula pineal, que faz a transdução do estímulo luminoso, transformando a informação luminosa em secreção hormonal de melatonina. Esta vai atuar em órgãos-alvo, como o núcleo supraquiasmático do hipotálamo e hipófise, que emitem sinais neurais ou hormonais que sincronizam o comportamento, inclusive o reprodutivo. São analisados os aspectos da embriologia, anatomia, microscopia, vascularização e inervação. Conclui-se que a pineal é o principal marcador do ritmo circadiano, e a luz tem forte influência no comportamento de adaptação às mudanças do meio ambiente.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2007-11-29

Como Citar

1.
Filgueiras MQ. Glândula Pienal: revisão da anatomia e correlações entre os marca-passos e fotoperíodos na sincronização dos ritmos cardíacos. hu rev [Internet]. 29º de novembro de 2007 [citado 3º de fevereiro de 2023];32(2):47-50. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/16

Edição

Seção

Artigos de Revisão da Literatura