Qual material possui maior longevidade em molares decíduos: resina composta ou cimento de ionômero de vidro ? – Revisão sistemática da literatura

Autores

  • Ana Luiza Martins de Souza Universidade Federal de Juiz de Fora Campus Governador Valadares
  • Alana Gail Lopes Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Taís Chaves Magalhães Universidade Federal de Juiz de Fora
  • Hugo Lemes Carlo Universidade Federal de Juiz de Fora Campus Governador Valadares
  • Rogerio Lacerda dos Santos Universidade Federal de Juiz de Fora Campus Governador Valadares
  • Fabíola Galbiatti de Carvalho Carlo Universidade Federal de Juiz de Fora Campus Governador Valadares

DOI:

https://doi.org/10.34019/1982-8047.2018.v44.13975

Palavras-chave:

Dentição decídua, Molares, Resina Composta, Cimento de ionômero de vidro, Taxa de Sobrevivência

Resumo

Introdução: Diversos materiais restauradores são indicados para a restauração de dentes decíduos posteriores, como amálgama, resina composta, cimento de ionômero de vidro convencional, cimento de ionômero de vidro modificado por resina e resinas compostas modificadas com poliácidos (compômeros). Entretanto, uma dúvida ainda persiste quanto ao desempenho clínico do cimento de ionômero de vidro, em decorrência de suas propriedades, para ser utilizado como material restaurador definitivo em molares decíduos. Objetivo: Realizar uma revisão sistemática da literatura acerca da taxa de sobrevivência de restaurações realizadas em molares decíduos utilizando resina composta e cimento de ionômero de vidro, buscando com base em evidências científicas, responder a PICO question: “Qual material possui maior longevidade em molares decíduos: resina composta ou cimento de ionômero de vidro?”. Material e métodos: Para este fim foram realizadas buscas em duas bases de dados, PubMed e Web of Science, utilizando uma estratégia de busca previamente determinada, para selecionar artigos de acordo com critérios de inclusão e exclusão criados para esse trabalho por dois examinadores calibrados. Resultados: A seleção dos artigos foi realizada de acordo com o fluxograma do PRISMA e foi criada uma tabela para avaliação qualitativa dos artigos selecionados. Foram encontrados 398 artigos na base de dados PubMed e 375 na Web of Science, sendo 153 coincidentes em ambas. Quarenta e seis artigos foram selecionados para leitura completa, dentre eles 42 foram excluídos, e quatro artigos foram incluídos para esta revisão. Conclusão: Após leitura crítica dos mesmos pode-se concluir que a resina composta demonstrou melhor desempenho clínico, ao longo do tempo, em molares decíduos comparados ao cimento de ionômero de vidro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. SB Brasil 2010: Pesquisa Nacional de Saúde Bucal: resultados principais. Brasília: Ministério da Saúde, 2012.

DONMEZ, B. S. et al. Clinical performance of aesthetic restorative materials in primary teeth according to the FDI criteria. European Journal of Paediatric Dentistry, v. 17, n. 3, p. 202–212, 2016.

DOS SANTOS, M. P. A.; LUIZ, R. R.; MAIA, L. C. Randomised trial of resin-based restorations in class i and class II beveled preparations in primary molars: 48-Month results. Journal of Dentistry, v. 38, n. 6, p. 451–459, 2010.

HUBEL, S.; MEJARE, I. Conventional versus resin-modified glass-ionomer cement for Class II restorations in primary molars: a 3-year clinical study. International Journal of Paediatric Dentistry, v. 13, n. 1, p. 2-8, 2003.

LAZARIDOU, D. et al. Dental materials for primary dentition: are they suitable for occlusal restorations? A two-body wear study. European Archives of Paediatric Dentistry, v. 16, n. 2, p. 165–172, 2015.

MOHER D. et al. Preferred reporting items for systematic reviews and meta-analyses: the PRISMA statement. International Journal of Surgery, v. 8, p. 336¬¬-341, 2010.

OLEGÁRIO, I. C. et al. Effectiveness of conventional treatment using bulk-fill composite resin versus Atraumatic Restorative Treatments in primary and permanent dentition: A pragmatic randomized clinical trial. BMC Oral Health, v. 17, n. 1, p. 1–8, 2016.

PAPATHANASIOU, A. G.; CURZON, M. E.; FAIRPO, C. G. The influence of restorative material on the survival rate of restorations in primary molars. The Journal of Clinical Pediatric Dentistry, v. 16, n. 4, p. 282-288, 1994.

PASCON, F. M. et al. Clinical evaluation of composite and compomer restorations in primary teeth: 24-month results. Journal of Dentistry, v. 34, n. 6, p. 381–388, 2006.

PINTO, G. D. S. et al. Longevity of posterior restorations in primary teeth:

Results from a paediatric dental clinic. Journal of Dentistry, v. 42, n. 10, p. 1248–1254, 2014.

SANTOS, A.P. et al. Survival of Adhesive Restorations for Primary Molars: A Systematic Review and Metaanalysis of Clinical Trials. The Journal of Clinical Pediatric Pentistry, v. 38, n. 5, p. 370-378, 2016.

SENGUL, F.; GURBUZ, T. Clinical Evaluation of Restorative Materials in Primary Teeth Class II Lesions. The Journal of Clinical Pediatric Dentistry, v. 39, n. 4, p. 315–321, 2015.

Downloads

Publicado

2019-02-08

Como Citar

1.
de Souza ALM, Lopes AG, Magalhães TC, Carlo HL, dos Santos RL, de Carvalho Carlo FG. Qual material possui maior longevidade em molares decíduos: resina composta ou cimento de ionômero de vidro ? – Revisão sistemática da literatura. hu rev [Internet]. 8º de fevereiro de 2019 [citado 30º de setembro de 2022];44(1):115-22. Disponível em: https://periodicos.ufjf.br/index.php/hurevista/article/view/13975

Edição

Seção

Artigos de Revisão Sistemática

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)