Esforço, fadiga, dormência: uma fenomenologia política do corpo próprio nos primeiros escritos de Levinas

  • Pablo Dreizik

Resumo

Nas análises iniciais do corpo desenvolvidas em De l’existence à l’existant (1937) Levinas dirige sua atenção a um termo próprio do repertório técnico do saber médico: a dormência (engourdissement). Este termo – que não fazia parte do repertório prévio de conceitos da tradição fenomenológica – permite a Levinas realizar uma análise fenomenológica do corpo, que inverte os pressupostos básicos da ideologia do trabalho (Arbeitskraft) dominante nos movimentos políticos extremistas durante o período de entre guerras na Europa. Neste trabalho me ocupo em reconstruir a operatividade do conceito de dormência nos argumentos principais de Levinas, do seu contexto político-cultural e, finalmente, comparar estas análises da dormência com os desenvolvimentos sobre o esforço na obra de Michel Henry.

 

Palavras chave: Levinas, Michel Henry, Dormência, Esforço, Política.

Publicado
2019-07-30