Patet Porta, Magis Cor

  • Antonio Henrique Campolina Martins

Resumo

“Abre-se a porta, mais ainda o coração”, e, por analogia, esta nossa edição toda dedicada a Emmanuel Levinas. O analogado existente no verbo abrir fundamenta e caracteriza a tonalidade do número em questão, onde, o termo central levinasiano accueil, acolhimento, nos outorga a possibilidade de empreender uma análise fenomenológica da porta. Afinal, porta é sempre acolhida. Pois é o que será feito nesta introdução.

 

Publicado
2019-07-30