ESTÉTICA JURÍDICA EM KANT

  • Luis Satie o Instituto de Estudos Avançados em Controle e Democracia

Resumo

A crítica da filosofia jurídica, após o holocausto, não pode prescindir da crítica do próprio ato de julgar. Este artigo mostra, com o auxílio da interpretação que Hannah Arendt nos legou da terceira Crítica de Kant, a possibilidade de deslocar o diálogo entre as faculdades do conhecimento para fora do domínio da estética, mas a partir dela.
Publicado
2018-08-14
Seção
Artigos