Unidade básica amiga da saúde LGBT como executora de uma política transversal: um relato de experiência

Autores

DOI:

https://doi.org/10.34019/1809-8363.2023.v26.41111

Palavras-chave:

Minorias Sexuais e de Gênero, Atenção Primária a Saúde, Educação em Saúde, Educação Continuada

Resumo

O projeto da “Unidade Básica de Saúde Amiga da Saúde LGBT” tem como ação principal a mudança de práticas assistenciais à saúde para o público LGBTQIA+ na atenção básica. Essa estratégia tem a finalidade de desconstruir o sistema que reforça a transgressão de direitos à saúde direcionada a esta população. Trata-se de um estudo descritivo do tipo relato de experiência, com o objetivo de apresentar a experiência do projeto “UBS Amiga da Saúde LGBT[1]” para execução da Política Nacional de Saúde Integral de gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais (PNSILGBT) na Atenção Primária à Saúde de Salvador no ano de 2022. A partir da vivência de uma enfermeira residente vinculada ao Programa de Residência Multiprofissional em Saúde da Família, inserida na Secretaria Municipal de Saúde de Salvador de junho a agosto de 2022. Pode-se notar que durante esse ano a implantação da estratégia foi iniciada em dez unidades, destas quatro conseguiram alcançar os critérios para certificação. Pesquisas enfatizam que a Educação permanente e educação em saúde com foco na população LGBTQIA+ é uma grande ferramenta para modificação das práticas de cuidado ainda pautadas na LGBTfobia. Portanto, conclui-se que a qualificação dos serviços de saúde, proposta pela UBS Amiga, capacita profissionais de saúde, o que corrobora o acesso e acolhimento de maneira qualificada do público LGBTQIA+ de acordo com suas especificidades nas unidades de saúde.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Jéssica de Souza Silva, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Enfermeira. Graduada em Enfermagem pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) mestranda em Enfermagem na Universidade Federal da Bahia (UFBA). CV: http://lattes.cnpq.br/3032746016383569

Diane de Jesus Nunes, Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB)

Médica de Saúde da Família e Comunidade. Graduada  em Medicina pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e mestranda em Saúde da Família  na Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB). CV: http://lattes.cnpq.br/0331283030227020

Milena Nascimento Ferreira , Fundação Estatal Saúde da Família (FESF-SUS)

Enfermeira Sanitarista. Graduada em Enfermagem pela Universidade Católica do Salvador (UCSAL) e mestra em Saúde da Famíla pela Universidade Estácio de Sá (UNESA). CV: http://lattes.cnpq.br/5306745647838277

Erik Asley Ferreira Abade, Universidade Federal da Bahia (UFBA)

Enfermeiro Sanitarista. Graduado em Enfermagem pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL), mestre em Saúde Coletiva pela Universidade Federal da Bahia (UFBA) e doutorando em Saúde Pública na Universidade Federal da Bahia (UFBA).  CV: http://lattes.cnpq.br/7514077109205299

Downloads

Arquivos adicionais

Publicado

2024-01-16

Como Citar

Silva, J. de S. ., Nunes, D. de J. ., Ferreira , M. N. ., & Abade, E. A. F. . (2024). Unidade básica amiga da saúde LGBT como executora de uma política transversal: um relato de experiência. Revista De APS, 26. https://doi.org/10.34019/1809-8363.2023.v26.41111

Edição

Seção

Relatos de Experiência