Abordagem de planejamento familiar e métodos contraceptivos em mulheres de Unidade Básica de Saúde em Olinda-PE

Autores

  • Lucas Japhet Valença Albuquerque Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)
  • Amanda Carvalho Feitoza Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)
  • Ana Luiza Nogueira Gonçalves Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE) https://orcid.org/0000-0002-2293-1565
  • Bárbara Teixeira Morato Borges Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)
  • Carla Cavalcanti Urias Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)

Palavras-chave:

Anticoncepção, Planejamento Familiar, Atenção Primária à Saúde

Resumo

Profissionais de saúde no campo do planejamento familiar recomendam uma assistência embasada no princípio da maternidade responsável e no direito de livre escolha dos indivíduos e casais. Esta depende essencialmente do uso e recomendação correta de métodos anticoncepcionais eficazes e seguros. Objetivou-se avaliar o conhecimento e o uso de métodos contraceptivos pelas pacientes e a abordagem sobre planejamento familiar no serviço. A pesquisa foi realizada através de questionário composto por 35 perguntas, realizado com 60 mulheres na Unidade Básica de Saúde de Peixinhos em Olinda-PE, no qual todas foram submetidas ao Termo de Consentimento Livre Esclarecido (TCLE) antes da coleta de dados. Foi respondido sobre abordagem de planejamento familiar prévia, métodos contraceptivos utilizados, além de uso de duplo método contraceptivo; avaliando-se de forma comparativa a utilização de métodos contraceptivos por aquelas que já foram consultadas sobre planejamento familiar. Das 60 pacientes analisadas, 75% não tiveram contato com planejamento familiar, 25% das pacientes já foram consultadas por profissional de saúde sobre planejamento familiar. Quanto ao uso de métodos anticoncepcionais, 95% usam algum método e 5% não usam. Dentre os métodos disponíveis no serviço, 30% das pacientes usam injeção anticonceptiva mensal, 36% usam pílula anticoncepcional, 12% usam Dispositivo intra-uterino (DIU) de cobre, 4% realizaram laqueadura e 8% não usa nenhum método. Quanto ao uso de preservativo, 58% afirmaram usar, 38% não usavam; 4% não quiseram responder. De toda a amostra, 60% não fazem uso de duplo método anticoncepcional. O uso de métodos anticoncepcionais exige informações adequadas, controle periódico e o auxílio do serviço pode fazer a diferença. O maior conhecimento sobre planejamento familiar pode fornecer maiores cuidados para as mulheres acerca da anticoncepção quanto às suas próprias escolhas, visto que, na comunidade analisada, o planejamento familiar ainda é incipiente e a maioria das entrevistadas faz uso de método contraceptivo, porém, muitas vezes, sem informações adequadas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lucas Japhet Valença Albuquerque, Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)

Graduando de Medicina.

Amanda Carvalho Feitoza, Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)

Graduanda de Medicina.

Ana Luiza Nogueira Gonçalves, Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)

Graduanda de Medicina.

Bárbara Teixeira Morato Borges, Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)

Graduanda de Medicina.

Carla Cavalcanti Urias, Universidade Católica de Pernambuco (UNICAP-PE)

Especialista em Uroginecologia pelo Instituto Materno Infantil de Pernambuco, Brasil(2014)
Médica do Instituto Materno Infantil de Pernambuco. Docente do curso de Medicina da Universidade catolica de Pernambuco.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos