Avaliação da cobertura vacinal na Região Norte do Brasil

Autores

Palavras-chave:

Atenção Primária à Saúde, Epidemiologia, Cobertura vacinal, Vigilância, Brasil

Resumo

A imunização através das vacinas é uma intervenção segura, com ótima relação custo-eficácia para os programas de saúde pública. No Brasil, o Ministério da Saúde (MS) construiu um programa de imunizações básicas com a intenção de controlar e erradicar enfermidades imunopreveníveis. Porém, ainda hoje, é observado um número considerável de crianças não vacinadas ou vacinadas com atraso, o que representa maior risco comunitário de epidemias e recidivas de doenças previamente controladas. Portanto, o impacto gerado pela vacinação precisa ser monitorado, pois oportuniza a detecção da vulnerabilidade imune da população, além de identificar potencialidades e fragilidades no processo de vacinação. Objetivou-se identificar aspectos epidemiológicos referentes à cobertura vacinal da região Norte em relação à cobertura vacinal em território nacional. Foi realizada busca sistemática nas bases de dados MEDLINE/PubMed, LILACS, SCIELO, CAPES/MEC e COCHRANE, utilizados os descritores “cobertura vacinal”; “epidemiologia”; “vigilância”; “prevalência” e “Brasil” em português, inglês e espanhol. Foram alcançados um total de 1121 estudos, os quais foram submetidos a uma triagem metódica, dividida em 3 fases, (eliminação por títulos e subtítulos; por resumos e abstracts; e por leitura integral de artigos) restando, ao final, 20 estudos a respeito da cobertura do esquema básico vacinal até os 15 meses, independente de raça, religião, região, sexo e critérios socioeconômicos. Além disso, foram coletados dados do Departamento de Informática do SUS (DATASUS) sobre cobertura vacinal de cada região geográfica brasileira dos últimos dez anos. Conclui-se que houve pouco delineamento epidemiológico devido à escassa literatura sobre o assunto. Todavia, foi possível atestar potenciais riscos e falhas na imunização, como diferenças na cobertura para grupos sociais estratificados segundo indicadores socioeconômicos, questões intrínsecas ao núcleo familiar e obstáculos gerados pela má administração das vacinas e no gerenciamento em saúde, principalmente na região Norte, comparado a outras regiões brasileiras, em especial a Sul e Sudeste.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ramona Carvalho Barros, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Acadêmica de medicina.

Roberta Mayumi Gonçalves Shinkai, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Acadêmica de medicina.

Ana Maria Costa Rodrigues, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Acadêmica de medicina.

Bernardo Felipe Santana de Macedo, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Acadêmico dmedicina.

Audrey Cabral Branches Soares, Universidade do Estado do Pará (UEPA)

Mestrado Profissional em Saúde na Amazônia pela Núcleo de Medicina Tropical - Universidade Federal do Pará, Brasil(2019). Médica Plantonista da Fundação Pio XII , Brasil.

Downloads

Publicado

2021-06-01

Edição

Seção

Resumos