IDENTIFICAÇÃO DA FÍSTULA ARTERIOVENOSA E SUAS COMPLICAÇÕES PELOS ENFERMEIROS DOS SERVIÇOS DE ENTRADA DE CÁCERES-MT

  • Alen Rodrigues Fernandes Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Shaiana Vilella Hartwig Universidade do Estado de Mato Grosso http://orcid.org/0000-0003-4245-2163
  • Eliana Cristina da Silva Universidade do Estado de Mato Grosso
  • Bianca Teshima de Alencar Universidade do Estado de Mato Grosso.
Palavras-chave: Fístula Arteriovenosa, Diálise Renal, Assistência de enfermagem

Resumo

  • Objetivo: verificar o conhecimento dos enfermeiros sobre a identificação da fístula arteriovenosa e suas complicações nos serviços de entrada do município de Cáceres-MT. Métodos: estudo descritivo, transversal, nas Unidades Básicas de Saúde e Pronto Atendimento Médico de Cáceres-MT. Coleta de dados através de questionário estruturado autoaplicável com 14 enfermeiros. Resultados: o perfil caracteriza-se 64,5% trabalham na unidade básica de saúde, sexo feminino (63,6%), idade de 30-39 anos (42,8%) e 71,4% tem especialização. Todos já atenderam e reconhecem a fístula, 85,7% já realizaram a palpação, 57,1% relatam que sabem identificar o frêmito, 85,7% nunca puncionaram e 50% realizaram a prescrição. Todos reconhecem pelo menos uma complicação, flebite e hematoma as mais citadas. Houve confusão em 14% dos cuidados prescritos. Conclusão: os enfermeiros do município de Cáceres que trabalham nos serviços de entrada reconhecem a fístula e conhecem suas complicações, mas apresentam dificuldades em relação prescrições de enfermagem próprios para fístula arteriovenosa. 

Biografia do Autor

Alen Rodrigues Fernandes, Universidade do Estado de Mato Grosso
Enfermeiro, Unemat.
Shaiana Vilella Hartwig, Universidade do Estado de Mato Grosso
Doutorando em Ciências Ambientais, Unemat. Mestre em Ciências Ambientais, Unemat. Enfermeira especialista em Nefrologia.
Eliana Cristina da Silva, Universidade do Estado de Mato Grosso

Mestre em Ciências Ambientais, Unemat.

Enfermeira.

Bianca Teshima de Alencar, Universidade do Estado de Mato Grosso.

Mestranda em Ciências Ambientais, Unemat.

Enfermeira.

Publicado
2019-01-30
Seção
Artigos Originais