ACOLHIMENTO NA PERCEPÇÃO DE ESTUDANTES DE MEDICINA

  • Luana Gabriele Nilson Universidade Federal de Santa Catarina http://orcid.org/0000-0003-3224-6294
  • Marcos Aurélio Maeyama Universidade do Vale do Itajaí
  • Fabrício Golono Kaminagakura Universidade do Vale do Itajaí
  • Thiago Campos de Souza Universidade do Vale do Itajaí
  • Luise Lüdke Dolny Universidade Federal de Santa Catarina
Palavras-chave: Acolhimento, Educação Médica, Percepção, Sistema Único de Saúde

Resumo

A criação do Sistema Único de Saúde determina a criação de um novo modelo de atenção à Saúde, cujo eixo de organização é a integralidade. Para tanto, o Ministério da Saúde cria o Programa de Saúde da Família em 1994, com o intuito de estruturar seu sistema de saúde a partir da Atenção Primária à Saúde. Sua implementação e expansão não foram suficientes para transformar as práticas hegemônicas de saúde de cunho estritamente biomédico. Assim, com o objetivo de rediscutir e transformar as práticas sanitárias, o Ministério da Saúde lança a Política Nacional de Humanização, apresentando o acolhimento como diretriz operacional para mudança do processo de trabalho. O ordenamento legal ou políticas indutoras não tem se mostrado capazes de transformar as práticas sanitárias, mantendo o modelo biomédico que segue soberano nos serviços de saúde. A universidade como instrumento de transformação social e pensamento crítico e reflexivo, tem o papel de induzir e fomentar novas práticas sanitárias, tendo como referência as necessidades de saúde da população e as políticas governamentais. Levando isso em conta, o objetivo da pesquisa foi identificar a percepção dos acadêmicos de Medicina sobre Acolhimento e auxiliar no processo de reflexão e transformação das práticas de formação, tendo como referência as Diretrizes Curriculares Nacionais e o Sistema Nacional de Saúde. A pesquisa foi de cunho qualitativo, realizada por meio de entrevistas semiestruturadas com acadêmicos do décimo segundo período do curso de medicina da UNIVALI. Os resultados apontaram que ainda existe uma forte influência do Modelo Biomédico na formação, sustentados especialmente pelos cenários de prática do SUS, com alguns lampejos por parte dos acadêmicos, em forma de crítica, apontando ainda de forma desordenada a integralidade na atenção à saúde.

Biografia do Autor

Luana Gabriele Nilson, Universidade Federal de Santa Catarina
Departamento de Saúde Pública - Doutorado em Saúde Coletiva na área: Ciências Humanas e Políticas Públicas em Saúde
Publicado
2018-12-17
Seção
Artigos Originais