O processo ensino-aprendizagem nos cuidados primários de saúde: a vivência do graduando em enfermagem

  • Cássio de Almeida Lima Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).
  • Bruna Rodrigues Novi Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).
  • Jucimere Fagundes Durães Rocha Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES)
  • Simone Guimarães Teixeira Souto Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES)
  • Cláudia Danyella Alves Leão Ribeiro Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES) e Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIP-MOC).
  • André Luiz Ramos Leal Estratégia Saúde da Família/Secretaria Municipal de Saúde de Montes Claros.
  • Sabrina Aparecida de Lima Mangueira Faculdade de Direito Santo Agostinho de Montes Claros.
  • Maisa Tavares de Souza Leite Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES)
Palavras-chave: Estudantes de Enfermagem, Educação em Enfermagem, Atenção Primária à Saúde, Pesquisa Qualitativa.

Resumo

Este estudo objetivou compreender o significado da vivência do processo ensino-aprendizagem nos cuidados primários de saúde na percepção do graduando em enfermagem. Trata-se de pesquisa descritiva, com abordagem qualitativa e fenomenológica. Realizou-se a análise das nove entrevistas por meio da descrição, redução e compreensão, o que permitiu a compreensão do fenômeno. Emergiram as categorias "desvelando a vivência do graduando em enfermagem nos cuidados primários de saúde", "fatores potencializadores vivenciados pelo graduando nos cuidados primários de saúde", "fatores dificultadores do processo de ensino-aprendizagem vivenciado nos cuidados primários de saúde". Revelou-se uma efetiva, mas gradativa, interlocução entre ensino-serviço-comunidade no contexto dos cuidados primários de saúde, em diversos contextos do cuidar em saúde da família. A vivência na prática da Atenção Primária à Saúde é positiva, contribui para uma formação sintonizada ao fortalecimento dos atributos da Atenção Primária e da Estratégia Saúde da Família, contribuindo com a consolidação do Sistema Único de Saúde. Porém, persistem dificuldades a serem superadas, o que requer sinergismo entre todos os envolvidos no processo de formação do enfermeiro. 

Biografia do Autor

Cássio de Almeida Lima, Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM).

Enfermeiro. Mestrando em Saúde, Sociedade e Ambiente pela Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM). 

Bruna Rodrigues Novi, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES).

Enfermeira. Graduada pela Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES). 

Jucimere Fagundes Durães Rocha, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES)

Enfermeira. Mestranda em Ensino em Saúde pela UFVJM. Professora do Departamento de Enfermagem da UNIMONTES. 

Simone Guimarães Teixeira Souto, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES)

Enfermeira. Mestre em Enfermagem. Professora do Departamento de Enfermagem da UNIMONTES. 

Cláudia Danyella Alves Leão Ribeiro, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES) e Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIP-MOC).

Enfermeira. Mestre em Ciências da Saúde. Professora do Departamento de Enfermagem da UNIMONTES e das Faculdades Integradas Pitágoras de Montes Claros (FIP-MOC).

André Luiz Ramos Leal, Estratégia Saúde da Família/Secretaria Municipal de Saúde de Montes Claros.

Enfermeiro, Estratégia Saúde da Família/Secretaria Municipal de Saúde de Montes Claros. Mestrando em Saúde, Sociedade e Ambiente pela UFVJM.

Sabrina Aparecida de Lima Mangueira, Faculdade de Direito Santo Agostinho de Montes Claros.

Bacharel em Direito. Graduada pela Faculdade de Direito Santo Agostinho de Montes Claros. 

Maisa Tavares de Souza Leite, Universidade Estadual de Montes Claros (UNIMONTES)

Enfermeira. Doutora em Ciências. Professora do Departamento de Enfermagem e do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde da UNIMONTES.

Publicado
2020-06-23
Seção
Artigos Originais