[1]
A. Amaral Ribeiro, “Terreiros sagrados: as religiões afro-brasileiras como espaço de resistência e reconhecimento identitário”, SAC, vol. 16, nº 1, p. 233-248, out. 2019.