Gestão de suprimentos da farmácia hospitalar com a implantação de métodos gerenciais de insumos utilizados na manufatura

  • Mario Lúcio de Oliveira Novaes
  • Vera Maria Medina Simonetti Universidade Estácio de Sá
  • Marina Weil Afonso
Palavras-chave: Farmácia hospitalar; medicamentos, gestão;custos

Resumo

A farmácia hospitalar abriga medicamentos de alto custo, e sua gestão profissionalizada pode garantir a sobrevivência mercadológica dessas instituições e viabilizar o exercício profissional da medicina. O objetivo é apresentar uma proposta de gestão dos estoques de uma farmácia, empregando-se três métodos da manufatura: (1) Padronização, (2) Protocolos e (3) Classificação ABC Este estudo de caso quantitativo utilizou a estatística descritiva simples no processo de gestão de estoques da farmácia de uma instituição hospitalar privada da cidade de Juiz de Fora, Minas Gerais. Coletaram-se dados pré e pós-implementação dos métodos citados, entre janeiro de 2003 e outubro de 2004. Obteve-se redução de 23,07% no número de itens abrigados no estoque; entre esses 271 (32,26%), voltavam-se aos cuidados diretos com o paciente, e apenas 128 desses itens eram medicamentos. A instituição não utilizava a Classificação ABC, e esta mostrou que os produtos da classe A representaram 71 % do valor do estoque, sinalizando diferenciar sua gestão. Conclui-se que os medicamentos representam parcela relevante na composição dos custos hospitalares, o que implica emprego de processos inovadores na gestão da farmácia, com redução dos custos institucionais e democratização do acesso aos serviços de saúde.
Publicado
2020-02-07