[1]
M. G. Gravier e A. C. López, “Traços invisíveis no papel: e impressoras antigas na Espanha e no México (séculos XVI a XIX)”, Locus, vol. 17, nº 2, abr. 2012.