https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/issue/feed Libertas 2020-12-22T11:02:21+00:00 Carina Berta Moljo carinamoljo@uol.com.br Open Journal Systems <p align="justify">A <strong>Revista&nbsp;Libertas</strong>, criada em 2001, é uma publicação semestral da Faculdade de Serviço Social e do Programa de Pós Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Juiz de Fora. Seu objetivo é estimular o intercambio da produção intelectual, de conteúdo crítico, produzida a partir de pesquisas empíricas e teóricas, no âmbito brasileiro e internacional, sobre temas atuais e relevantes da área do Serviço Social e das Ciências Sociais e Humanas, com as quais mantem interlocução.</p> https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32971 O museu de grandes novidades 2020-12-22T11:02:21+00:00 Alexandre Aranha Arbia aarbia@gmail.com Carina Berta Moljo carinamoljo@uol.com.br Ronaldo Vielmi Fortes rvielmi@gmail.com <p>Editorial</p> 2020-12-12T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Alexandre Aranha Arbia, Carina Berta Moljo (Autor); Ronaldo Vielmi Fortes https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32935 Entrevista com Rede Mineira de Grupos de Estudos sobre Fundamentos do Serviço Social/ReMGEFSS 2020-12-19T15:26:48+00:00 Lesliane Caputi lesliane@hotmail.com Diego Tabosa lesliane@hotmail.com <p><strong>Entrevista com Rede Mineira de Grupos de Estudos sobre Fundamentos do Serviço Social/ReMGEFSS</strong></p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Lesliane Caputi, Diego Tabosa (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32812 ENGELS, Friedrich; Progresso da reforma social no continente 2020-12-19T15:27:46+00:00 Ronaldo Vielmi Fortes rvielmi@gmail.com <p>Tradução de artigo do jovem Engels em comemoração ao bicentenário de seu nascimento. O artigo ora traduzido marca o início da colaboração de Engels com o jornal <em>The New Moral World</em>. O periódico foi um dos primeiros jornais socialistas do Reino Unido. A publicação foi lançada por Robert Owen em novembro de 1834 como sucessora do jornal <em>Crisis</em>. Foi publicado em dois números da revista, nr. 19 de 04 de novembro de 1843 e nr 21 de 18 de novembro de 1843. No texto Engels esboça uma descrição dos principais movimentos socialistas de sua época, aborda as principais correntes do movimento na França, na Alemanha e na Suiça. A intervenção de Engels aponta para a necessidade da integração do movimento socialista no continente, para tanto, conhecer suas variantes nos países industrializados torna-se essencial para somar forças em vistas da transformação social. O artigo testemunha os passos iniciais do jovem pensador no interior do pensamento propriamente comunista, em clara ruptura com o ideário democrático burguês e com o pensamento político dos neohegelianos.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ronaldo Vielmi Fortes https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32166 Trabajo Social em Cuba 2020-12-14T23:21:06+00:00 Gabriela Abrahão Masson gabriela.masson@uftm.edu.br Onilda Alves do Carmo onilda.a.carmo@unesp.br Bruna Alexandra Silva e Brigo bruna.alx03@hotmail.com <p>A partir de pesquisa financiada pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (FAPESP) e intercâmbio institucional na Universidade de Havana, esta reflexão teórico prática situa algumas particularidades sócio históricas da trajetória de profissionalização e institucionalização do <em>Trabajo Social</em> em Cuba, os níveis formativos existentes e o chamado <em>trabajo comunitario</em>. A partir do legado revolucionário socialista anti-imperialista problematizamos as tendências teóricas em curso e atuantes no <em>Trabajo Social</em> e no processo de formação das (os) <em>trabajadores sociales</em> no contexto cubano.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Gabriela Abrahão Masson, Onilda Alves do Carmo, Bruna Alexandra Silva e Brigo (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/30452 O trabalho do/da Assistente Social na Assistência Estudantil 2020-12-14T23:21:39+00:00 Edna Medeiros do Nascimento ednamedeirosnascimento@gamil.com Moema Amélia Serpa Lopes de Souza serpamoema@gmail.com <p>Este artigo apresenta reflexões sobre o trabalho do/a assistente social no universo da educação superior pública estadual, trazendo algumas aproximações sobre a inserção profissional do/a mesmo (a) na educação, as competências e atribuições profissionais nesse espaço sócio-cupacional e as implicações da seletividade da assistência estudantil para o trabalho profissional. A síntese de nossas reflexões aponta que a principal requisição profissional do/a assistente social nessas instituições consiste na realização de avaliação socioeconômica dos discentes, enfatizando a seletividade dos programas de permanência, &nbsp;constituindo-se, portanto, como um desafio para profissão no contexto de desmonte dos direitos sociais.&nbsp;</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Edna Medeiros do Nascimento, Moema Amélia Serpa Lopes de Souza (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/30370 A produção do conhecimento em Serviço Social na educação 2020-12-14T23:21:43+00:00 Ingrid Barbosa Silva ingridzinha.01@hotmail.com Adriana Freire Pereira Ferriz adriana.ferriz@ufba.br Eliana Bolorino Canteiro Martins elianacanteiro@terra.com.br <p>O artigo apresenta o resultado da pesquisa documental sobre a produção do conhecimento referente ao tema: Serviço Social e Educação, destacando a inserção e trabalho de assistentes sociais na política de educação brasileira, a partir dos artigos publicados na Revista <em>Serviço Social &amp; Sociedade</em>, deste a primeira edição (1979) até 2019, sedimentada na perspectiva critica. Identificamos que 22% dos artigos tratam sobre a inserção e o trabalho do assistente social na educação, considerando a significativa contribuição desta Revista, ao longo de 40 anos da sua existência, constata-se reduzida a reflexão sobre a temática em voga, pela categoria profissional.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ingrid Barbosa Silva, Adriana Freire Pereira Ferriz, Eliana Bolorino Canteiro Martins (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/29137 Entre demandas e tensionamentos 2020-12-14T23:21:53+00:00 Bismarck Oliveira da Silva bismarck.oliveirasilva@gmail.com Nilmar Francisco da Silva dos Santos nilmar.servicosocial@hotmail.com <p>A instrumentalidade, dimensão constitutiva do Serviço Social, se reflete no processo de trabalho dessa profissão na área sociojurídica. A pesquisa, cuja abordagem é qualitativa, se baseia em revisão de literatura e análise documental. Objetivou-se entender como a instrumentalidade da prática profissional do Serviço Social se expressa na área sociojurídica. Também se explica a categoria instrumentalidade e sua funcionalidade no exercício profissional, identificando qual instrumentalidade norteia hegemonicamente a categoria do Serviço Social na área sociojurídica, sem perder de vista as nuances de disputa ideopolíticas que pulula no debate. Mesmo com a contrarreforma do Estado e da ofensiva neoliberal em curso, ainda sobressaem diretrizes teórico-filosóficas e ético-políticas de implementação de uma instrumentalidade crítico-reflexiva no processo de trabalho do Serviço Social, indicando uma razão crítico-dialética na efetivação do projeto ético-político dessa profissão.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Bismarck Oliveira da Silva, Nilmar Francisco da Silva dos Santos (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/30723 A Contribuição do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos para o envelhecimento ativo 2020-12-14T23:21:31+00:00 Thiago Prisco thiagoprisco@live.com <p>O presente artigo discorre sobre a contribuição do Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos (SCFV) da Assistência Social para o envelhecimento ativo de pessoas idosas. O trabalho adota a concepção da Organização Mundial da saúde para classificar envelhecimento ativo. Aponta como o Serviço de Convivência e Fortalecimento de Vínculos contribui para o envelhecimento ativo de idosos que vivenciam situação de vulnerabilidade e/ou risco social. O método de pesquisa adotado é o de revisão bibliográfica do tipo narrativa, uma vez que o interesse central do estudo é conhecer o fenômeno através de leituras já realizadas por outros pesquisadores, além de análise documental de algumas publicações que versam sobre o tema. Conclui-se que o Serviço de Convivência e Fortalecimento de vínculos contribui para o processo de envelhecimento ativo e saudável uma vez que as suas ações são capazes de contribuir com o bem-estar e interação social de seus participantes, à medida que possibilita a vocalização de demandas e sua organização social.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Thiago Prisco (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/30116 Entre carências, incertezas e violências da vida contemporânea, o encarceramento feminino no Brasil 2020-12-14T23:21:48+00:00 Rodrigo Barbosa e Silva rodrigo.bs@unitins.br Denise Rodrigues Vieira da Silva deniserodriguez0703@gmail.com <p>O presente trabalho versa sobre a presença da prisão no contexto da sociedade contemporânea enquanto instituição que visa a punição e a reabilitação dos sujeitos condenados à pena de privação da liberdade. O objetivo foi compreender o lugar do encarceramento feminino no Brasil, suas causas e os problemas enfrentados na execução das penas. Além de uma revisão literária a respeito das violências do mundo atual, trouxemos a percepção de ex-detentas sobre o sistema penitenciário brasileiro. Concluímos que o cárcere, de maneira geral, contribui para a violação dos direitos humanos e tem como papel principal, apenas, a punição das mulheres presas.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Rodrigo Barbosa e Silva, Denise Rodrigues Vieira da Silva (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/30604 Subordinação e dependência na América Latina 2020-12-14T23:21:34+00:00 Waldez Cavalcante Bezerra waldezto@yahoo.com.br Larissa Martins de Almeida larissamartins_ss@yahoo.com <p>A partir da perspectiva histórico-crítica, e incorporando elementos da teoria marxista da dependência, o artigo buscar elucidar elementos para pensar a “questão social” na América Latina. Para organização da exposição, num primeiro momento, retomamos alguns aspectos gerais sobre a expressão “questão social”, para, em seguida, discutirmos o processo de formação sócio-histórica da América Latina e tecermos alguns apontamentos sobre as particularidades da “questão social” latino-americana. Levando em consideração a bibliografia estudada, conclui-se que a “questão social” na América Latina se manifesta por meio de diferentes expressões que têm origem nas tendências gerais de acumulação capitalista, mas que também está assentada na lógica da subordinação e da dependência, apresentando como característica uma maior exploração da força de trabalho no processo produtivo que desencadeia junto aos trabalhadores um conjunto de misérias, privações e violências.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Waldez Cavalcante Bezerra, Larissa Martins de Almeida (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/30928 Notas sobre a superexploração da força de trabalho no Brasil no século XXI 2020-12-14T23:21:24+00:00 Anderson Silva anderson.martins.silva@hotmail.com Ednéia Alves de Oliveira oliveiraedneia@yahoo.com.br <p>Este artigo é resultado de uma pesquisa bibliográfica e documental sobre a relação da superexploração da força de trabalho no Brasil através de dados fornecidos pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), pelo Sistema de Contas Nacionais (SCN) e pelo Instituto Latino-Americano de Estudos Socioeconômicos (ILAESE). Entendemos que a categoria superexploração do trabalho analisada por Marini nos anos de 1970&nbsp; nos permite constatar que, nas primeiras décadas do século XXI, explica a relação trabalhista no país e os fundamentos da acumulação capitalista em curso, seja pela via do arrocho salarial e também pelo aumento dos impostos sobre a classe trabalhadora.</p> <p>&nbsp;</p> <p>&nbsp;</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 ANDERSON SILVA, Ednéia Alves de Oliveira (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32099 Ascensão e declínio da Nova República (1988-2018) 2020-12-14T23:22:02+00:00 Alexandre Aranha Arbia aarbia@gmail.com <p>Partindo da hipótese que o esgotamento da Nova República ganha sua máxima <em>expressão fatual</em> com a eleição de Jair Bolsonaro, esse artigo procura, a partir da evidenciação dos três momentos decisivos da nossa história recente, argumentar como as tentativas de resolução do processo de acumulação do capital no Brasil, por meio da adoção de modelos econômicos específicos, repercutiram na pactuação – sempre temporária e instável – entre as classes, marcando as experimentações político-institucionais da Nova República, que não apenas não trouxeram solução econômica para o truncado desenvolvimento capitalista brasileiro, como tampouco permitiram avançar rumo a uma verdadeira democracia social. Finaliza com a conclusão de que este particular pacto entre classes, que tem na Constituição Federal de 1988 seu mais expressivo paradigma, está social e historicamente superado no Brasil.</p> 2020-11-04T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Alexandre Aranha Arbia (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/30784 Considerações sobre a crítica marxista à dinâmica da pobreza na sociabilidade capitalista e seu caráter estrutural 2020-12-14T23:21:28+00:00 Fabrício Andrade fabriciof8@yahoo.com.br <p>É objetivo deste artigo debater a crítica marxista à pobreza na sociedade capitalista em face ao seu caráter funcional e estrutural na sociabilidade capitalista. A análise marxista demonstra que as respostas liberais engendradas para o enfrentamento da pobreza não escapam ao seu enfoque segmentado e parcial, sendo incapazes de chagar ao cerne da produção da pobreza como resultado do desenvolvimento capitalista.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 FABRICIO ANDRADE (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/31922 O sistema prisional brasileiro e a Covid-19 2020-12-17T14:11:35+00:00 Jefferson Lee de Souza Ruiz leenorio@uol.com.br Marcia Medrado Abrantes marciaabrantes73@gmail.com <p>Já é significativa a produção mundial de conhecimentos sobre a Covid-19. Embora com potencial de atingir toda a população, a pandemia varia a depender de fatores como doenças pré-existentes, condições sociais, pertencimento a determinadas classes, raças-etnias, gênero, entre outros. Há ainda segmentos populacionais que, como no período pré-pandemia, têm suas demandas e necessidades secundarizadas por parte das análises. Este artigo pretende refletir sobre os impactos e os desafios da atual crise sanitária sobre o sistema prisional, particularmente o brasileiro.</p> <p><strong>Palavras-chave:</strong> sistema prisional; Covid-19; desencarceramento; políticas sociais.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Jefferson Lee de Souza Ruiz, Marcia Medrado Abrantes (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32944 Expediente, Volume 20, nr. 2 2020-12-16T12:18:06+00:00 Editores rvielmi@gmail.com <p>Expediente, Volume 20, nr. 2</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ronaldo Vielmi Fortes https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32934 Os fundamentos do serviço social e o enfrentamento ao conservadorismo 2020-12-14T23:21:57+00:00 Maria Carmelita Yazbek mcyaz@uol.com.br <p>O artigo apresentado analisa os fundamentos do conservadorismo clássico, a relação com o Serviço Social na sua gênese e a posterior ruptura.&nbsp; Destaco a centralidade dos fundamentos na abordagem sobre a profissão, entendendo aqui por fundamentos a matriz histórico-ontológica, explicativa da realidade e da profissão, sob múltiplos aspectos, e que permeia a interlocução entre o Serviço Social e realidade. Concluímos sobre a necessidade de enfrentamento à ofensiva conservadora que caracteriza o tempo presente.</p> 2020-12-11T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Maria Carmelita Yazbek (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32167 “Renovação” do Serviço Social brasileiro 2020-12-14T23:20:59+00:00 Mirla Cisne mirlacisne@gmail.com Luciana Batista de Oliveira Cantalice lucianabocantalice@gmail.com Luciene Araújo assistente.luciene@gmail.com <p>Nosso objetivo geral é analisar as condições sócio históricas do tempo presente, considerando as mediações com os fundamentos do conservadorismo e alguns de seus rebatimentos para o Serviço Social, especialmente em relação aos desafios que a profissão enfrenta em seu processo de “renovação”. &nbsp;Utilizamos o materialismo histórico dialético como método de análise do objeto em questão: Serviço Social, conservadorismo e “renovação” profissional na atualidade. Para tanto, realizamos uma pesquisa bibliográfica e documental, de tipo qualitativo. Defendemos como conclusão central, que o processo de “renovação” profissional configura-se como um movimento <em>continumm</em>, no confronto com as reatualizações conservadores, o que demanda uma sintonia do Projeto Ético Político do Serviço Social com as lutas classistas, feministas e antirracistas.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Mirla Cisne, Luciana Batista de Oliveira Cantalice, Luciene Araújo (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/31729 Aspectos do conservadorismo higienista no Serviço Social clínico 2020-12-14T23:21:21+00:00 Angely Dias da Cunha gelly.cunha@hotmail.com Ariadna Nunes Aguiar anunesaguiar@gmail.com <p>Este artigo é resultado de pesquisa bibliográfica e documental alicerçada no materialismo histórico-dialético e tem por objetivo geral analisar a presença do conservadorismo higienista no serviço social clínico e seus desdobramentos para efetivação do projeto ético-político. Com o intuito de apreender o objeto por meio das categorias heurísticas do método crítico-dialético problematiza-se o avanço do conservadorismo na sociedade e no serviço social em uma conjuntura marcada pela crise do capitalismo e contrarreforma do Estado. Nessa elucubração ontológica, identificou-se a presença de um perfil profissional terapêutico conservador adequado à reprodução do capitalismo e contrário ao projeto ético-político.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Angely Dias da Cunha, Ariadna Nunes Aguiar (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32164 Recrudescimento conservador no Brasil 2020-12-14T23:21:09+00:00 Raquel Santos Sant'Ana raquel.santana@unesp.br Jose Fernando Siqueira da Silva jfernandoss@terra.com.br <p>O presente artigo oferece alguns elementos para analisar as atuais expressões do conservadorismo no Brasil no contexto de crise estrutural do capital. Sustentado na abordagem ontológico-materialista, portanto histórico-crítica, o texto considera as particularidades da América Latina na economia-política mundial e apresenta as bases materiais que oferecem sustentação para o avanço do conservadorismo no Brasil. A estrutura socioeconômica dependente e a desigualdade radical estruturam esta base por onde teorias e concepções conservadoras/reacionárias são reavivadas e se desenvolvem. Os impactos no Serviço Social e no atual projeto ético-político profissional de orientação emancipatória recolocam desafios concretos.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Jose Fernando Siqueira da Silva, Raquel Santos Sant'Ana (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32044 Racismo, conservadorismo e Serviço Social 2020-12-14T23:21:15+00:00 Cristiane Luiza Sabino de Souza crisabino1@gmail.com <p>O presente artigo tem por objetivo explicitar elementos teóricos e históricos que possibilitam uma maior compreensão dos fundamentos e dinâmica do conservadorismo na particularidade da formação latino-americana e caribenha. Para tanto, foi feito um estudo bibliográfico, que buscou relacionar os temas em análise, privilegiando produções e debates cuja centralidade é a compreensão do colonialismo, do racismo estrutural e suas determinações na sociedade de capitalismo dependente. Com isso, buscou-se destacar: que o racismo é determinação fundamental no desenvolvimento e manifestações do conservadorismo neste território; mediações para a compreensão do significado da relação entre o conservadorismo e o Serviço Social, a partir da centralidade do colonialismo e do racismo na conformação daquele; bem como os desafios que se acenam a partir dessa compreensão.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Cristiane Luiza Sabino de Souza (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32043 Serviço Social e a temática família 2020-12-14T23:21:18+00:00 Claudio Henrique Miranda Horst claudiovasques1@hotmail.com <p>O artigo apresenta a dialética renovação/conservadorismo na produção teórica e no trabalho profissional com famílias a partir de duas frentes: a) a recuperação histórica de três momentos da profissão (gênese/renovação/aproximação com o marxismo) e sua relação com a temática família; b) a compreensão de família apresentada por assistentes sociais em artigos publicados nos Encontros Nacionais de Pesquisadores em Serviço Social (ENPESS) entre 2004 e 2012. Por meio de uma pesquisa documental, com análise de conteúdo, busca-se decifrar os elementos históricos que se reatualizam, no presente, ou que são fontes de rupturas. Conclui-se que, diante da persistência de perspectivas conservadoras, na contramão da direção assumida há mais de 40 anos pela profissão, impõe-se, como urgente, a produção crítica do conhecimento sobre família.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Claudio Henrique Miranda Horst (Autor) https://periodicos.ufjf.br/index.php/libertas/article/view/32149 As requisições conservadoras para o trabalho dos assistentes sociais em debate 2020-12-14T23:21:12+00:00 Ana Lúcia Suárez Maciel alsmaciel@gmail.com <p>O artigo problematiza resultados de uma pesquisa feita sobre o mercado de trabalho dos assistentes sociais no Rio Grande do Sul (RS), a partir do recorte do perfil profissional que vem sendo requerido para os mesmos. Para tanto, se efetivou o mapeamento, tratamento e análise de conteúdo da oferta de vagas para esse cargo, referentes aos anos de 2018 e 2019, cuja categorização indica para elementos acerca da empregabilidade, assalariamento, carga horária, atribuições e competências profissionais. Os resultados indicam descompasso entre o perfil preconizado pelo atual projeto profissional e o perfil requisitado pelo mercado de trabalho no RS, de modo a expressar requisições que reatualizam a perspectiva conservadora da profissão que se vinculam ao complexo e contraditório movimento histórico conjuntural da sociedade, refletem a crise do capitalismo e os seus rebatimentos no trabalho dos assistentes sociais.</p> 2020-12-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2020 Ana Lúcia Suárez Maciel (Autor)