[1]
M. M. Pithon, “Os modelos ortodônticos digitais são confiáveis? Uma revisão sistemática”, hu rev, vol. 44, nº 1, p. 97–113, fev. 2019.