Café e pecuária em Juiz de Fora – 1896-1930

  • José Augusto de Souza Destro
Palavras-chave: Café, Pecuária, Gado bovino, Leite, Laticínios

Resumo

Este artigo procura analisar a transição da economia cafeeira para a pecuária em Juiz de Fora, município localizado na Zona da Mata de Minas Gerais. Este processo, em consonância com a crise da agroexportação brasileira na Primeira República, tem como marcos balizadores a grave crise dos preços do café, iniciada em 1896, e o ano de 1930, que corresponde ao final do domínio da economia agrária voltada para a exportação na região. A partir deste cenário, procuramos entender os aspectos que atuaram decisivamente para a efetiva transição do café para a criação de gado, observando o peso da conjuntura econômica nacional vinculada ao café e as particularidades regionais, que contribuíram significativamente para o desenvolvimento da pecuária. Ao mesmo tempo, avaliamos a importância do sistema agrário em que se pautou a cafeicultura que, em sua transformação, promoveu as bases reais para o implemento da criação, cujo rebanho predominante foi o gado bovino de cunho leiteiro. Assim, destaca-se o crescimento desta atividade como alternativa real ao café ao produtor rural, constituindo-se numa fonte de renda que, face ao seu constante desenvolvimento, implementa-se cada vez mais uma produção de laticínios, tanto nas fazendas como na cidade de Juiz de Fora, constituindo-se esta num dos mais importantes centros de produção e comercialização de produtos lácteos do Estado de Minas Gerais. Dessa forma, estaremos analisando a pecuária como parte integrante do processo de diversificação econômica em curso no município e região, observando assim o papel relevante que teve enquanto atividade econômica e social.

Publicado
2019-06-05
Seção
Artigos