Uma leitura das condições de vida dos escravos através dos registros de óbitos

a Mata Mineira e o Litoral Sul Fluminense nos anos 1847-1888

  • Rômulo Garcia de Andrade
Palavras-chave: Escravidão, Óbitos, Zona da Mata mineira, Litoral sul fluminense

Resumo

No presente artigo analisamos as condições de vida dos escravos na Zona da Mata de Minas Gerais e no Litoral Sul Fluminense através dos assentamentos de óbitos, que também revelam a negligência dos párocos em registrar todas as informações relacionadas ao cerimonial funerário, a disseminação de doenças infecto-contagiosas devido à precariedade das senzalas, o elevado índice de mortes na população escrava resultante sobretudo das más condições de vida, trabalho, habitação, alimentação e mesmo de vestuário, a falta de nomenclatura própria para as doenças da época, os empecilhos enfrentados pelos escravos em sua reprodução vegetativa, evidenciada nos altos índices de mortalidade de crianças e adultos jovens, a necessidade de se atentar para a influência das conjunturas epidêmicas em suas oscilações, e a relevância do braço escravo em outras atividades, que não a lavoura.

Publicado
2019-05-27
Seção
Artigos