[1]
A. Rodrigues Bruno, “‘Por tudo que é vivo, morre’”, FDC, vol. 5, nº 10, p. 168-186, out. 2019.