A natureza distópica da revolução na narrativa gráfica Shangri-la, de Mathieu Bablet

Autores

  • Jivago Araújo Holanda Ribeiro Gonçalves

DOI:

https://doi.org/10.34019/1983-8379.2019.v12.28041

Resumo

Este trabalho desenvolve uma interpretação da narrativa gráfica Shangri-la(2018), de Mathieu Bablet,ressaltando aspectos de sua configuração sci-fie distópica que ensejam uma crítica à estruturação contemporânea do modo de produção e existência capitalistas e dos sujeitos neles enredados. Busca-se desvelar, ainda, o processo pelo qual tais sujeitos são impelidos a um estado de revolução intrínseco às características essenciais da ficção científica tais como apresentadas na narrativa em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-09-13

Edição

Seção

Artigos