Entre admirável mundo novo e jogador número 1

a distopia cibernética de Ernest Cline

Autores

  • Isabella Tagata Ferreira
  • Priscila Aparecida Borges Ferreira Pires

DOI:

https://doi.org/10.34019/1983-8379.2019.v12.28039

Resumo

Com popularidade crescente desde sua consolidação, a literatura distópica atraiu e conquistouo público jovem, tornando-se best-seller.Tendo em mente a classificação errônea de obras não-distópicas como distopias, analisamos, de modo comparativo, o clássico Admirável Mundo Novo, (2014 [1932]), de Aldous Huxley, e o romance Jogador Número 1(2011),de Ernest Cline, observando seuspontos convergentes e divergentes,para estabelecer se a obra de Cline é, de fato, uma distopia.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2019-09-13

Edição

Seção

Artigos