https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/issue/feed Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas 2020-12-30T17:35:07+00:00 Equipe Editorial | Editorial Staff | Equipo Editorial revista.homa@ufjf.edu.br Open Journal Systems <p>Homa Publica – Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas, que pertenece a El <a title="website" href="http://homacdhe.com" target="_blank" rel="noopener">Homa – Centro de Derechos Humanos y Empresas</a> de la Universidad Federal de Juiz de Fora, tiene por objetivo ser un vehículo para publicación de trabajos académicos y divulgación de investigaciones, de investigadores e investigadoras latinoamericanos e internacionales, en el área de Empresas y Derechos Humanos. La llamada de artículos para publicación en Homa Publica se encuentra permanentemente abierta; trabajos pueden ser enviados para análisis y posible publicación a cualquier tiempo.</p> https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30759 Direitos Humanos e Empresas: uma análise histórica sobre o tratamento das Nações Unidas conferido à temática e propostas para seu aperfeiçoamento 2020-12-30T17:35:07+00:00 Mariana Evelin Silva Leal marianaleal13@hotmail.com <p>O presente artigo aborda os elementos essenciais para compreensão histórica da relevância do assunto “direitos humanos e empresas”, temática esta que levou à aprovação pelas Nações Unidas dos chamados "Princípios Orientadores de Ruggie", em 2011. A pesquisa relata a trajetória de conscientização sobre o envolvimento das corporações, especialmente as transnacionais, em violações de direitos humanos. Propõe, ao final, caminhos para o engajamento da pauta, com vistas ao fim das consequências perversas decorrentes de negligências empresariais.</p> 2020-12-30T17:30:35+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/32410 Indústria farmacêutica e medicalização: uma reflexão sobre a democratização da saúde 2020-12-23T22:51:35+00:00 Natália Aragão de Figueredo nataliaragao@gmail.com Adriely Cardoso Barbosa adrielycbarbosa@gmail.com Anna Clara Lima Macedo annamacedo2002@gmail.com Pedro Henrique Barroso Avelar phbavelar@gmail.com Nicole Humberto de Oliveira nicoleoliver@hotmail.com <p class="western" align="JUSTIFY"><span style="color: #000000;"><span style="font-family: Arial, serif;"><span lang="pt-BR">Este texto tem por finalidade realizar uma análise acerca dos embates jurídicos e sociais no que tange a mercantilização do direito à saúde, através do estudo da construção da figura do médico como autoridade e do comportamento da indústria farmacêutica, uma vez que ambos colaboram, distintamente, para a relativização do acesso isonômico aos meios de saúde pública. Para isso, apresenta argumentos históricos e sociológicos a fim de expor o arcabouço político e econômico que advém da capitalização dos direitos fundamentais previstos na Carta Magna de 1988.</span></span></span></p> <p class="western" lang="pt-BR" align="JUSTIFY"><br><br></p> 2020-12-23T22:51:31+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/32565 Inversiones internacionales, conflicto inversionista-estado y la conexión con el desarrollo sostenible: un enfoque de jurisprudencia 2020-12-22T20:46:51+00:00 Paula Uematsu Arruda paulauematsu@yahoo.com.br <p>O presente artigo busca compreender a tensão entre os interesses dos investidores internacionais e das medidas adotadas pelos Estados para cumprir com as metas de desenvolvimento sustentável. Nesse sentido, investidores internacionais adotam cláusulas de estabilização que podem congelar o poder dos Estados de regulamentação. Abordagens baseadas na doutrina do poder de polícia e do comprometimento estatal com as normas de direito internacional destacam-se como forma de limitar os efeitos negativos das cláusulas de estabilização garantindo o comprometimento dos Estados com o desenvolvimento social e ambiental. Buscamos identificar como tribunais e instituições arbitrais tendem a decidir quando o que está em causa é uma disputa que envolve, por um lado, os interesses dos investidores e por outro, ações estatais baseada no interesse público e do comprometimento com o desenvolvimento sustentável.</p> 2020-12-22T20:44:55+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/32303 Responsabilidad legal de los hospitales por actos negligentes y violación del derecho a la salud: análisis de dos casos que sientan un precedente en México 2020-12-28T16:13:08+00:00 Jessica Cristina Romero Michel jessica_romero@ucol.mx Abraham Eduardo Zarate Madrid ABRAHAM_ZARATEMADRID@hotmail.com <p>Este artículo analiza el razonamiento que realiza la Suprema Corte de Justicia de la Nación de México en dos casos que sentaron precedente por violación del derecho a la salud por actos negligentes de los Hospitales privados y su vinculación con los Principios Rectores sobre Empresas y Derechos Humanos.</p> 2020-12-21T18:14:16+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/32596 Recent trend toward a balanced business and human rights responsibility in investment treaties and arbitrations 2020-12-21T15:52:09+00:00 Winibaldus S. Mere merestef@ic.nanzan-u.ac.jp <p>This last decade there has been a shift in investment agreements, which traditionally focused on unilateral protection of investors– mainly multinational enterprises (MNEs) –, but now increasingly turning toward a more balanced approach to include corporate social responsibility. This has been significantly intensified since the adoption of the United Nation Guiding Principles on Business and Human Rights in 2011. As a matter of legal approach, not simply a voluntary one, how and to what extent do the trend to toward this balanced approach take into account this Guiding Principles and other CSR standards into legal framework developed by States through their duty to regulate and adjudicate in investment law regime? This paper shows that at least from recent cases of legal development through State duty to regulate in investment treaties and duty to adjudicate in matters related to dispute settlement, there is an initial and limited, but significant trend of legal development toward such a balanced approach for business and human rights in investment law regime.</p> 2020-12-21T13:42:07+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/32034 [Retracted Article] Extraterritorial protection of human rights according to US civil jurisprudence 2020-12-28T01:44:05+00:00 Dimitris Liakopoulos prof.dimitris.liakopoulos@gmail.com <p>The editorial team of Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas proceeded to retract the research due to the non compliance with the editorial norms.</p> 2020-12-18T20:26:12+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30678 A Human Rights analysis of South Africa’s Control of Marketing of Alcoholic Beverages Bill 2020-12-04T17:53:32+00:00 Adam Bertscher abertscher@gmail.com Leslie London leslie.london@uct.ac.za Stefanie Röhrs steffi.roehrs@gmail.com <p>In 2013, the South African government drafted the Control of Marketing of Alcoholic Beverages Bill to address alcohol-related harms. This draft Bill aims to protect children’s health by restricting alcohol advertising but was opposed with arguments that advertising restrictions will violate human rights. Using the International Covenant on Civil and Political Rights and Siracusa Principles this paper assesses the claim that restricting alcohol advertising poses an unjustifiable limitation on human rights, including the right to freedom of expression. An analysis shows that the limitation may be justifiable to protect children’s right to health and their right to be free from all forms of violence. Restricting alcohol advertising is a government obligation to protect children’s rights from private sector violations.</p> 2020-12-02T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/32831 Comentarios sobre el PL 2.788/2019 sobre la Política Nacional de Derechos de las Poblaciones Afectadas por Represas 2020-12-21T17:42:36+00:00 Homa - Centro de Derechos Humanos y Empresas projeto.homa@ufjf.edu.br <p>El artículo analiza el Proyecto de Ley 2.788/2019, actualmente pendiente en el Senado Federal, que tiene como objetivo establecer una política nacional sobre los derechos de las poblaciones afectadas por represas. Presenta la tensión entre desarrollo y Derechos Humanos, que se manifiesta en los enfrentamientos entre esas empresas y las comunidades circundantes. Destaca la historia de organización y lucha de las personas afectadas por las represas en los movimientos de base. Registra la evolución de las normas jurídicas nacionales en la materia y destaca la ausencia de un marco normativo legal que instituya derechos a las poblaciones afectadas, lo que las obliga a entablar negociaciones directas con las propias empresas, en flagrante desequilibrio de fuerzas. Comenta las disposiciones contenidas en la versión actual del Proyecto de Ley, con adiciones al texto original, y discute las posibilidades de mejorar el texto, destacando la importancia de superar el modelo actual para asegurar la protección efectiva de los Derechos Humanos de esas comunidades.</p> 2020-11-20T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2020 Homa - Centro de Direitos Humanos e Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/31272 Liability of companies for damages in their production chain: a study based on the reality of the Brazilian garment industry 2020-08-03T17:54:39+00:00 João Hagenbeck Parizzi joao.parizzi@uemg.br Lucas Silva Fialho lucassfialho@gmail.com <p>Many companies’ productive structure still makes modern slavery possible, under the aegis of decreasing production costs and increasing profitability. This situation is highlighted in the textile industry, in which large brands outsource suppliers and, successively, small workshops that may use slave labor. Considering the legal difficulty of holding companies accountable for human rights violations that occurred in their production chain, the objective of this study is to carry out an exploratory, documentary and bibliographic research of the international legal system on the subject. It is concluded that, despite the advances, there is still a legal gap to ensure this accountability.</p> 2020-08-03T17:54:36+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/31090 Trabalho feminino na indústria da moda e a luta contínua por direitos humanos 2020-07-02T22:03:20+00:00 Mariele Cristina de Abreu Zoratto mariezoratto@gmail.com <p>O objeto de estudo do artigo é a situação das trabalhadoras da indústria da moda em países de Terceiro Mundo sob um viés contrário à vitimização, e que se embasa em teorias que reconhecem a necessidade de uma atuação consciente e voltada à emancipação. A hipótese de pesquisa é que elas estão em um processo de emancipação, para o qual os postos de trabalho ajudam, embora ainda sejam precários. A pesquisa é qualitativa, exploratória, crítica e pautada em revisão bibliográfica e documental. Os resultados apontam que ao invés de vitimização e culpa, o foco da atuação em prol de uma moda mais ética deveria estar na dignidade, liberdade e necessidade de empoderamento.</p> 2020-07-02T00:00:00+00:00 Derechos de autor https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/32832 Derechos Humanos y COVID-19: reflexiones sobre la captura empresarial 2020-12-15T18:25:30+00:00 Homa - Centro de Derechos Humanos y Empresas projeto.homa@ufjf.edu.br <div class="abstract"> <p>Seção:<strong>&nbsp;Cadernos de Pesquisa – Homa</strong></p> <p>Trabalho não avaliado por pares.</p> </div> <div class="item references">&nbsp;</div> 2020-05-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor Homa - Centro de Direitos Humanos e Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30506 Um recorte de gênero para Empresas e Direitos Humanos: ‘empoderamento’ das mulheres 2020-05-09T23:37:44+00:00 Marianna Vargas de Freitas Cruz Leite marianna.leite@uc.pt <p>O conceito igualdade de gênero vem sendo interpretado de maneiras diversas pelos diferentes atores sociais e, por isso, continua sendo um dos maiores desafios para a realização efetiva dos direitos humanos. De acordo com a teoria do pluralismo jurídico, co-existem, em todas as sociedades, dois ou mais sistemas jurídicos que não pertencem a um único “sistema" de valores. No entanto, até o momento não existem dados claros sobre o grau em que os atores não-estatais contribuem para a "transformação e ruptura" de regras em sistemas legais que são inerentemente pluralistas. Com o&nbsp;intuito&nbsp;de sanar esse problema epistemológico, uma pesquisa de pós-doutorado intitulada "O conceito de igualdade de gênero e as empresas multinacionais" explorou o impacto das empresas multinacionais no conceito de igualdade de gênero. O exame empírico focou em quatro multinacionais brasileiras, Banco do Brasil, Braskem, Eletrobrás e Vale S.A., durante um período de três anos, 2015, 2016 e 2017. A coleta de dados foi dividida em três partes: a análise dos principais documentos internos das empresas supra-citadas que tratam da igualdade de gênero; as decisões judiciais envolvendo essas empresas; e entrevistas com trabalhadores ligados às mesmas empresas. Este artigo se concentra apenas nos resultados oriundos das entrevistas.<a href="#_ftn1" name="_ftnref1"><sup>[1]</sup></a></p> <p>&nbsp;</p> <p><a href="#_ftnref1" name="_ftn1">[1]</a> Essa pesquisa não teria sido possível sem o apoio e disponibilidade de todos os entrevistados, a revisão efetuada pelos avaliadores do processo double-blind, e da assessoria do Centro de Direitos Humanos - <em>Ius Gentium Conimbrigae</em> da Universidade de Coimbra, em especial a Prof. Dra Paula Veiga. Fica aqui o agradecimento sincero na esperança de que juntos/as possamos atingir uma realidade em que os direitos humanos sejam respeitados por todos e a igualdade de gênero seja uma realidade e não uma aspiração.</p> 2020-05-08T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2020 Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30499 As transnacionais e a ampliação dos sujeitos de Direito Internacional 2020-12-12T15:03:45+00:00 Angelina Colaci Tavares Moreira angelinacolaci@hotmail.com <p>A expansão da atuação das empresas transnacionais transformou o cenário internacional. Empresas passaram a exercer o domínio além das fronteiras dos países onde se encontram sediadas, tornando-se fortes agentes da economia. O objetivo da pesquisa é buscar uma solução para as constantes violações de direitos humanos cometidas pelas transnacionais. A metodologia utilizada foi o método hipotético-dedutivo e análise bibliográfica. Constatou-se que no cenário atual vislumbra-se que os Estados já não são os únicos a violar os direitos do homem, nem os únicos que deveriam ser responsáveis por promover seu respeito e proteção. Desta forma, torna-se imprescindível a busca pelo fortalecimento dos mecanismos de proteção e de responsabilização das transnacionais pelas violações que as estas vierem a cometer.</p> 2020-01-30T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2020 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30500 Compliance para proteção dos direitos humanos em empresas 2020-05-09T23:37:12+00:00 Ricardo Murilo da Silva ricardo@florianiesilva.adv.br Felipe Oswaldo Guerreiro Moreira felipe@krmr.adv.br <p>Os princípios orientadores dos direitos humanos, aprovados pelo Conselho De Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), são baseados em três pilares: proteger, respeitar e reparar. Às empresas, especialmente se destina o segundo pilar, respeitar. Assim, todas as empresas têm a responsabilidade de respeitar os direitos humanos, cumprindo todas as leis aplicáveis, e também seguindo um padrão ético empresarial. O objetivo desse ensaio é explanar como o <em>compliance </em>pode ser um instrumento a ser utilizados pelas empresas para que respeitem às normas referentes aos direitos humanos, sejam elas internacionais ou nacionais. Como objetivos específicos, esse artigo vai demonstrar o instituto do <em>compliance </em>e vai apontar razões para o a adoção de um programa de <em>compliance </em>em direitos humanos no âmbito empresarial. O problema trazido pela pesquisa é: como o <em>compliance </em>pode ser útil para a proteção dos direitos humanos no âmbito empresarial? Justifica-se a pesquisa pela relevância da temática, sendo que, com instrumentos adequados, as empresas poderão implementar medidas para que se adequem aos mais altos padrões nacionais e internacionais e, com isso, possam até mesmo visar o aumento de seus lucros e/ou ao menos, reduzir os seus riscos. A metodologia utilizada para a pesquisa é a hipotética dedutiva, utilizando-se da pesquisa bibliográfica, com a análise de legislação e literatura especializada no tema. Como prévia do resultado do estudo realizado, é possível dizer que o <em>compliance </em>mostra-se como uma excelente ferramenta para as entidades empresariais se adequarem à sistemática de respeito aos direitos humanos.</p> 2020-01-30T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2020 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30501 Do Sol à Amazônia: uma reflexão sobre hidrelétricas e análise das práticas de energia solar no Rio Tapajós 2020-05-09T23:37:24+00:00 Lindon Johnson Pontes Portela lindon.johnson.narutero@gmail.com Joelma Viana dos Santos joelmaviana@gmail.com <p>O artigo pretende analisar notícias sobre o uso de energia solar na bacia do rio Tapajós, mostrando ações de uma energia mais limpa, justa e descentralizada em comunidades ribeirinhas, indígenas e na periferia da cidade, bem como fazer uma reflexão teórica sobre a construção de hidrelétricas na Amazônia e contextualizar a relevância do uso de energia solar descentralizada no Brasil. O bioma amazônido sempre foi considerado como um local de gigantescas reservas de matéria-prima com potencial de geração de bens para todo o mundo, seja pelos recursos minerais, energéticos e de plantio de monoculturas. Foram selecionados 7 artigos de notícias sobre a temática de energia solar no rio Tapajós, que têm como objetivo sensibilizar pessoas para uma nova energia matriz energética por meio da educação ambiental. Nota-se a priori que as iniciativas de energia solar na bacia do Tapajós são realizadas por três organizações, duas Organizações Não Governamentais – ONGs e um Movimento Social localizado na cidade de Santarém-PA. No entanto, incentivar a energia solar é pensar em questões econômicas, especialmente nos estados do Norte que mesmo fornecendo grande energia para o Sudeste, ainda paga a energia mais cara do Brasil. Pensar no assunto de geração de energia decentralizada e mais limpa é falar de um novo modelo energético mais justo, proporcionando mais equidade social, bem como abrir espaço para inciativas de uma economia solidária em rede por organizações da sociedade civil.</p> 2020-01-30T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2020 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30504 Inteligência artificial e direitos humanos: impactos e dilemas éticos atuais 2020-12-08T20:29:34+00:00 Ana Carolina de Souza Pereira anacarolinasp16@outlook.com Ana Luisa Brêtas Bruno analuisa.bretas@gmail.com Ariane Meirelles de Azevedo ariane.deazevedo@hotmail.com Caroline da Rosa Pinheiro caroline.ufjf@gmail.com Lívia Melo Honorato Campos livia.melo@direito.ufjf.br Nicole Vieira Abreu Ornellas nicole.abreuorn@hotmail.com Victória Presoti Paixão vicpaixao@yahoo.com.br <p>O presente artigo visa analisar, por meio de uma revisão bibliográfica e estudo de caso exploratório, alguns dilemas éticos impostos pela Inteligência Artificial e suas consequências no âmbito dos direitos humanos. O problema de pesquisa possui como finalidade investigar os dilemas éticos surgidos a partir do uso de sistemas de Inteligência Artificial e como estes se relacionam com violações de direitos humanos, tendo como prisma as diretrizes éticas acordadas pela União Europeia no ano de 2019. A partir das diretrizes, desenvolveu-se uma pesquisa de cunho documental e bibliográfico com uma análise qualitativa. Entre os resultados encontra-se a necessidade de uma regulamentação dos sistemas de Inteligência Artificial, que seja capaz de normatizar questões, as quais possuem impacto nos direitos humanos, a fim de mitigar seus potenciais riscos de violação e o desafio incutido a essa tarefa, tendo em vista os possíveis impactos inibitórios de uma regulamentação&nbsp;&nbsp; à inovação tecnológica.</p> 2020-01-30T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2020 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30581 A desconstrução do caráter vinculante das normas sobre Empresas e Direitos Humanos: da natureza voluntária dos Princípios Ruggie à voluntariedade das diretrizes nacionais 2020-05-13T03:21:16+00:00 Edmundo Antonio Dias Netto Junior edmundodias@uol.com.br Marlon Alberto Weichert mweichert@mpf.mp.br Raquel Portugal Nunes raquelportugalnunes@gmail.com <p class="Resumo">O artigo tem por objetivo promover a discussão sobre o Decreto n. 9.571, de 21 de novembro de 2018, que estabelece as <em>Diretrizes Nacionais sobre Empresas e Direitos Humanos </em>para médias e grandes empresas. A análise é baseada em dois aspectos, os quais demonstram a ilegitimidade e insuficiência do mencionado decreto para fazer face às graves violações aos direitos humanos decorrentes de atividades empresariais no país: i) a ausência de participação social em sua elaboração; ii) o caráter não vinculante de suas disposições.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30582 Entre lo deseable y lo factible: hacia un tratado vinculante sobre empresas y derechos humanos 2020-05-13T03:32:08+00:00 Carmen Montesinos Padilla cmontesinos@uvigo.es <p>Aunque cada vez es más habitual encontrar, entre la doctrina más especializada, a quienes defienden el reconocimiento de obligaciones jurídicas vinculantes a las empresas en materia de derechos humanos, el debate sigue estando muy polarizado. Situándonos en el marco de las teorizaciones sobre la gobernanza global, en estas páginas defenderemos el pragmatismo de los Principios Ruggie y su conveniente complementariedad con un futuro tratado internacional. Ahora bien, si por un lado entendemos que el desarrollo e implementación de los Principios de Naciones Unidas debe proceder mediante el refuerzo de un enfoque basado en las víctimas, por otro consideramos que los contornos de un futuro tratado internacional habrán de delimitarse tanto con un adecuado grado de precisión técnica, como con un suficiente nivel de generalidad y abstracción. Y en este sentido se formularán, para finalizar, algunas propuestas de reforma del llamado Draft 0 del futuro tratado internacional sobre empresas y derechos.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30583 Meio ambiente, empresas e direitos humanos no sistema das Nações Unidas: uma análise econômica da adoção de normas vinculantes sobre obrigações de direitos humanos das empresas 2020-05-13T03:38:24+00:00 Luiz Eduardo Camargo Outeiro Hernandes Luizhernandes.pr@gmail.com <p>O reconhecimento de um sistema de regras vinculativas sobre responsabilidade das empresas de respeitar os direitos humanos, com particular referência ao direito a um meio ambiente saudável, é capaz de promover mais benefícios que custos, salvar vidas, convertendo a possibilidade de sanção em um custo ao poluidor e colocar o ser humano novamente no centro da deliberação.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30584 [Retracted Article] Extraterritorial obligations of States on economic, social, cultural rights and development operations 2020-12-28T01:30:30+00:00 Dimitris Liakopoulos prof.d.liakopoulos.648@gmail.com <p>The Editorial Team of Homa Publica - Revista Internacional de Derechos Humanos y Empresas - has proceeded to retract the research because the scientific article has been published by another scientific journal, (ii) terms identified plagiarism in the paper.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30585 Desafios do multiculturalismo para o Direito Arbitral e os negócios internacionais 2020-08-07T20:42:09+00:00 Rhayanne Dutra Machado Mendanha rhayannedutra@yahoo.com.br Florisbal de Souza Del’Olmo florisbaldelolmo@gmail.com <p>O multiculturalismo surge a partir de diferentes tipos de relações sociais, onde se descobre que cada qual tem sua singularidade, entretanto, grandes são os conflitos apresentados em um ambiente diversificado e muitos são os assuntos ainda em descobrimento. Costuma-se relatar que as relações entre a sociedade são sociais ou políticas. Para além de certos patamares de diferença cultural e política, as experiências sociais são constituídas por conhecimentos rivais. O Direito Comercial Internacional quando aplicável em ambiente com grande diversidade cultural precisa de uma “válvula de escape” para a resolução de conflitos, que é o que chamamos de Arbitragem Comercial Internacional. Com base em análises detalhadas sobre cada tema, como multiculturalismo no mundo, direito comercial internacional e arbitragem comercial internacional em resolução de conflitos, o presente artigo tem por base solucionar questões recorrentes onde a diversidade cultural ou o que chamamos de multiculturalismo, pode influenciar em decisões dos negócios internacionais. Averiguar que em certos pontos a legislação será conflituosa com a realidade de outro país, sendo necessárias decisões unificadas para que a supremacia constitucional ou até mesmo a unicidade do próprio país não afete as conclusões abordadas no comércio internacional, promovendo ideologias sociais e defendendo os direitos sociais apresentados mundialmente.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30586 Reflexões a partir da audiência pública “Direitos Humanos e empresas: qual é a política pública que o Brasil precisa?” 2020-05-14T01:59:14+00:00 Laura Monteiro Senra lsenra@terra.com.br <p class="Resumo">Busca-se analisar a audiência pública “Direitos Humanos e Empresas: qual é a política pública que o Brasil precisa?”, com foco em suas possíveis conclusões. Para tanto considera-se análises teóricas sobre o tema como a noção da arquitetura da impunidade, desenvolvida por Juan Zubizarreta e a desigualdade entre os atores desse campo, comparada por Luiz Carlos Silva Jr. à batalha de David contra Golias. Além disso, traz-se também a disputa quanto aos marcos legislativos sobre o tema entre os Princípios Orientadores, de caráter voluntário, e um instrumento internacional vinculante. Todos esses pontos estiveram presentes nas falas feitas no evento analisado que concluiu pela necessidade da construção de uma política pública que estipule normas vinculantes sobre direitos humanos e empresas.</p> <p class="Resumo">&nbsp;</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30587 Governança corporativa e direitos humanos: uma análise empírica no novo mercado 2020-05-13T04:20:00+00:00 Carlos Pagano Botana Portugal Gouvêa carlosgouvea@usp.br Bruna Magalhães Gärner bruna.garner@pglaw.com.br João Paulo Braune Guerra joao.guerra@usp.br <p class="Resumo">O objetivo do presente trabalho é identificar as práticas das empresas brasileiras com relação aos direitos humanos, dentro de uma perspectiva da governança corporativa. Nesse sentido, a pesquisa analisou documentos de companhias abertas registradas perante a Comissão de Valores Mobiliários (CVM), buscando identificar quantas companhias apresentam programas de direitos humanos, numa análise comparativa entre os anos de 2013 e 2017. A hipótese que foi desenvolvida é a de que as companhias brasileiras, entre os referidos anos, apresentaram um aumento na implementação de políticas de direitos humanos, relacionados com a prevenção de riscos de imagem, melhoria nas relações com empregados e clientes e captação de investidores. No entanto, apesar de ter sido identificada uma pequena melhora, o número de empresas que implementa ao menos parcialmente os princípios das Nações Unidas para Direitos Humanos e Negócios é muito reduzido, o que é particularmente grave em um país marcado por inúmeras violações de direitos humanos como o Brasil. O trabalho de pesquisa foi feito sobretudo por meio da análise dos Formulários de Referência de companhias abertas do segmento do Novo Mercado, registradas perante a CVM.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30588 Conflitos entre interesses da administração pública e setor empresarial: regulação de mercado e ponderação de princípios constitucionais sob a perspectiva da política econômica 2020-05-13T04:42:42+00:00 Antonio de Holanda Cavalcante Segundo holanda.segundo@gmail.com Caio Anderson da Silva Dantas caiodantas1986@gmail.com <p class="Resumo">O trabalho objetiva abordar a ponderação de princípios constitucionais no conflito de interesses entre a Administração Pública e o Empresário, focado no intervencionismo estatal como modalidade de regulação do mercado. A economia é palco de constantes embates entre os interesses público e privado. Na leitura pretendida, a política econômica representa papel preponderante na solução desses conflitos, atuando como norte da ponderação de princípios constitucionais no deslinde de embates concretos, porquanto fator de regulação do mercado. Assim, na compreensão do Estado pós-neoliberal brasileiro, os Poderes Executivo e Legislativo exercem ingerência econômica para garantir receitas, enquanto o Judiciário, prolatando decisões de modo a confundir os interesses públicos primários e secundários, garante a supremacia dos interesses da Administração Pública sobre a iniciativa privada.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30589 A inserção da proteção das pessoas LGBTI na agenda internacional de direitos humanos e empresas 2020-05-13T04:53:46+00:00 Gabriel Coutinho Galil gcgalil@gmail.com Rafael Carrano Lelis rafael.carrano.lelis@gmail.com Paola Durso Angelucci paolangelucci@yahoo.com.br <p class="Resumo">O trabalho investiga a inserção dos direitos LGBTI na agenda de Direitos Humanos e empresas. Nesse sentido, a partir do marco teórico da justiça democrática pós-westfaliana, proposta por Nancy Fraser, questiona-se como a agenda de Direitos Humanos e empresas pode contribuir para a efetivação do reconhecimento das pessoas LGBTI. Propõe-se uma pesquisa do tipo jurídico propositivo, com a intenção de delinear o conteúdo de direitos LGBTI a serem incluídos nos Planos Nacionais de Ações. Traça-se uma análise de conteúdo de caráter quantitativo e qualitativo, por meio do método indutivo e da técnica de exame documental.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30590 Novo olhar sobre a obrigatoriedade de contratar pessoas com deficiência na iniciativa privada 2020-05-13T04:58:54+00:00 Roberto Carlos Ferreira Soares ro.cabru@hotmail.com <p class="Resumo">Este trabalho tem por objetivo apresentar a importância do trabalho como fator de inclusão social considerando a força normativa da Constituição Federal de 1988 que fomentou a geração de direitos e garantias para as pessoas com deficiência principalmente no bloco trabalhista através da Lei 8.213, de 24 de julho de 1991 que estabeleceu a obrigatoriedade de reservar postos de trabalho para pessoas com deficiência ou reabilitados pela Previdência Social, cujo momento atual necessita ser revitalizada mediante outras formas que estimulem a inclusão da pessoa com deficiência na sociedade pela via laboral.</p> 2019-12-21T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30574 Diferentes formas de valoração do ambiente: conflitos entre camponeses e mineradora na Zona da Mata Mineira 2020-05-12T23:23:57+00:00 Alice Nogueira Monnerat alicenmonnerat@gmail.com Julio Cesar Pereira Monerat julio.monerat@ifsudestemg.edu.br <p>O avanço da mineração de bauxita no entorno do Parque Estadual da Serra do Brigadeiro, na Zona da Mata Mineira ameaça a territorialidade camponesa ali desenvolvida ao longo de gerações e coloca em confronto duas maneiras distintas de valorar o ambiente. Enquanto a mineradora estabelece um cálculo meramente econômico para os impactos por ela produzidos, as comunidades camponesas consideram valores culturais, simbólicos, religiosos e históricos incapazes de serem medidos pela escala monetária. O conflito entre as diferentes formas de valoração revela, dessa forma, uma agressão aos direitos humanos dessas comunidades.</p> 2019-01-31T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa https://periodicos.ufjf.br/index.php/HOMA/article/view/30575 A parceria entre a Defensoria Pública do Estado do Pará e a Clínica de Direitos Humanos da Amazônia/UFPA no enfrentamento de violações de direitos humanos por empresas transnacionais 2020-05-12T23:48:55+00:00 Cristina Figueiredo Terezo Ribeiro cfterezo@hotmail.com Flávia do Amaral Vieira ei_flavia@hotmail.com Johny Fernandes Giffoni johnygiffoni@gmail.com <p>O presente artigo visa apresentar a parceria feita entre a Defensoria Pública do Estado do Pará e a Universidade Federal do Pará, por meio da Clínica de Direitos Humanos da Amazônia. Além das atividades de pesquisa sobre o tema central do plano de trabalho, e levantamento doutrinário, jurisprudencial em âmbito internacional e normativo, as ações irão se concentrar no enfrentamento das violações ocorridas no polo industrial, portuário e minerário do Município de Barcarena e nas medidas judiciais e extrajudiciais da implantação da ferrovia no Estado do Pará, que irá percorrer áreas de proteção ambiental ocupadas por populações tradicionais.</p> 2019-01-31T00:00:00+00:00 Derechos de autor 2019 Homa